Século XVIII

O Século XVIII foi o século da revolução industrial, das ideias iluministas e acontecimentos históricos em Portugal como o terramoto de 1755. Muitos monumentos ficaram destruídos naquele fatídico dia 1 de novembro, sendo depois muitos deles reconstruídos ou recuperados, agora segundo os métodos e estilos mais recentes. Sendo o final da Época Moderna e o início da Contemporânea, foram construídos monumentos mais modernos, mais atuais, muito diferentes dos clássicos.

  • Edifício setecentista a pertencer à primeira metade do séc. XVIII, ano em que finalizaram os claustros, pertenceu à Ordem dos Franciscanos.
  • Começou com uma ordem de mendicantes, com as religiosas Carmelitas. Passou pela época da extinção das ordens religiosas, depois recolheu crianças pobres.
  • O Convento dos Frades, ou Quinta dos Frades, era um convento dominicano de construção do século XVIII. Foi vendido no século seguinte após a extinção das ordens religiosas.
  • Antigo Mosteiro fundado em 1725 para servir de hospital e albergue aos frades da Ordem Terceira utentes das termas.
  • Datado do século XVIII, o templo é um dos mais sumptuosos do Algarve, querendo rivalizar com o Convento dos Frades Descalços que naquele tempo se encontrava em construção.
  • Um cruzeiro barroco do século XVIII, com a data de 1753 gravada no plinto liso sobre um soco quadrangular terminado com uma Cruz de Cristo.
  • Este cruzeiro é datado de 1708, com três degraus quadrangulares, em que o primeiro está ao nível da calçada.
  • Este cruzeiro do século XVIII, situado na Praça da República, em frente ao Mosteiro, tem como base um soco de planta quadrangular constituído por seis degraus.
  • Situado no mesmo espaço murado da Capela do Senhor do Bonfim, também o Cruzeiro, todo em pedra e trabalhado, faz parte do cenário religioso do local.
  • Um cruzeiro de provável construção do século XVIII situado numa intersecção de vários ruas, é formado por uma base de quatro degraus com o plinto sobreposto por uma cruz latina.
  • Situado em frente da Capela, é um elemento figurativo da arquitetura religiosa, é um verdadeiro ícone da aldeia espelhada nas figuras escultóricas da cruz.
  • Símbolo da aproximação de um templo religioso e, neste caso, em frente à Igreja Matriz de Ermesinde, este monumento deverá ter sido edificado durante o século XVIII.
  • Este cruzeiro do séc. XVIII, algo fora do normal com duas figuras uma em cada lado representando um menino e uma menina, está situado no centro de Mourilhe.
  • O Cruzeiro de Roge está situado no adro da igreja matriz, destacando-se desta. Está datado também do século XVIII (1762) e de uma arquitectura religiosa barroca.
  • Está situado junto à estrada nacional, no início de uma avenida com acesso ao interior da freguesia. Cruzeiro do século XVIII, todo em granito e pertencente a uma arquitetura religiosa barroca, de...
  • Situado mesmo em frente da entrada para o Palácio de São Marcos, integrava-se no antigo conjunto conventual, edificado em 1783.
  • Este cruzeiro do século XVIII mostra uma rara beleza pela sua linha escultórica, chegando a ser considerado um dos mais significativos cruzeiros do país.
  • Situado no centro da aldeia de Venade, no Largo António Joaquim Alves da Cruz, o Cruzeiro de Venade está considerado como um dos belos e mais interessantes exemplares do norte do país. Foi...
  • Posicionado junto à Ponte Velha de Arcos de Valdevez, ergue-se este maravilhoso cruzeiro, pertencente a uma época tardia oitocentista.
  • Situado no adro da Igreja Matriz de Valmaior, este simples cruzeiro em granito mostra a base antiga, possivelmente do século XVIII, enquanto a cruz parece ser mais recente.