Século XVIII

O Século XVIII foi o século da revolução industrial, das ideias iluministas e acontecimentos históricos em Portugal como o terramoto de 1755. Muitos monumentos ficaram destruídos naquele fatídico dia 1 de novembro, sendo depois muitos deles reconstruídos ou recuperados, agora segundo os métodos e estilos mais recentes. Sendo o final da Época Moderna e o início da Contemporânea, foram construídos monumentos mais modernos, mais atuais, muito diferentes dos clássicos.

  • Situada no largo da aldeia, foi edificada no ano de 1743 sob o estilo barroco joanino, vindo substituir uma capela anterior do S. Bartolomeu.
  • Uma capela do século XVIII situada no final de uma rua no extremo norte da localidade, em que se destaca a grande escadaria que antecede a porta retangular e a sineira a truncar a empena.
  • A capela, que se crê ter sido construída no século XVIII, apresenta uma planta longitudinal retangular. No interior destaca-se o púlpito e os frontais decorados com motivos fitomórficos.
  • Capela do séc. XVIII, construída em 1743, de estilo maneirista. Este templo foi adaptado para galeria de exposições, após de ter sofrido obras de restauro entre 2000-2001.
  • Esta capela surgiu de uma pequena ermida ou oratório dedicado a São Francisco, mas não se sabe a data em que foi instituída nem a época a que remonta o primitivo oratório.
  • Este templo religioso, consagrado a São Frei Gil, Padroeiro de Vouzela, é datado do século XVIII, do reinado do D. João V. Apresenta uma fachada de pano único delimitado por cunhais de cantaria...
  • A Capela do Espírito Santo e São Frutuoso, do séc. XVIII em estilo barroco, é constituída de uma só nave retangular e um anexo também retangular.
  • Uma capela do século XVIII, salienta-se na fachada a porta retangular e o tímpano ladeado por pináculos piramidais e terminado numa cruz. A capela está erguida num local com uma vista espetacular.
  • Uma pequena capela na zona norte da localidade, é datada do século XVIII, em arquitetura barroca. Esta capela foi restaurada em 1923 e reparada recentemente, mostrando a fachada aberta pela porta em...
  • Capela de São Gonçalo, também conhecida como Capela de São Gonçalinho, como o nome indica é uma homenagem ao beato pela crença dos pescadores na sua proteção.
  • A Capela de São João Evangelista, no Luso e junto da fonte com o mesmo nome, é uma pequena capela do século XVIII, simples, com uma pequena capela-mor.
  • A Capela de São José do Fojo, ou da Senhora do Fojo, é uma capela isolada no Parque Natural do Alvão. Dedicada a São José, é uma capela do século XVIII que habitualmente tem celebração no dia 19 de...
  • Construída no século XVIII, esta capela pertence à Santa Casa da Misericórdia de Arruda dos Vinhos.
  • Situada no largo com o mesmo nome, foi edificada no ano de 1757 e dedicada a São Miguel e Nossa Senhora da Conceição.
  • A capela de S. Miguel do Fetal, da primeira metade do século XVIII, apresenta o portal retangular encimado por um frontão triangular e ladeada por duas janelas também retangulares.
  • A Capela de São Rafael, matriz de Bravo, é uma capela do século XVIII, tendo sido construída após pedido constante da população, por a sede de freguesia, Pedrógão Pequeno, se situar a mais de 6...
  • A Capela de São Roque, em Rapoula, é de construção do século XVIII ou antes, porque está referenciada nas Memórias Paroquiais de 1758.
  • Esta Capela, no centro histórico da Lourinhã, não tem qualquer resenha histórica. No interior do retábulo da capela-mor existe a data de 1730, provavelmente da edificação desta capela.
  • De data desconhecida, crê-se que é anterior a 1747 pois já nesta altura Luís Cardoso a referenciava no seu dicionário geográfico.
  • A Capela do Cruzeiro e das Necessidades, a poucos metros da Igreja Matriz, está considerada como uma das mais interessantes fachadas neste tipo de templo de Portugal.