Século X

No Século X a Península Ibérica estava sob o domínio árabe, que se estendeu desde 711 até terminar em definitivo em 1492. As suas influências no nosso território são notórias por toda a parte, nos castelos, nas casas e ruas, nos nomes das localidades e em muitos termos na nossa língua.

  • Sendo Aljezur de origem muçulmana, o Castelo de Aljezur foi fundado pelos árabes durante a sua ocupação no século X.
  • Castelo dos Mouros ou de Moreira, pertence à época Medieval, a sua construção remonta ao final do século X e início do século XI.
  • Considerado como um dos mais importantes Castelos entre o Douro e Minho, teve igualmente a sua importância na formação e consolidação da Nacionalidade.
  • Encontrando-se estrategicamente localizada num alto rochoso na confluência da ribeira de Oeiras com o rio Guadiana, esta fortificação teve as suas origens islâmicas.
  • Neste ponto mais alto da vila de Miranda do Corvo existiu uma construção fortificada do séc. X, e que estaria referenciada em documentos no Mosteiro do Lorvão.
  • O Castelo de Noudar está situado no Parque da Natureza de Noudar, num montado de azinho, estando num local de extrema e ímpar beleza natural entre o Rio Ardila e a Ribeira de Múrtega.
  • Já em 960 o Castelo de Numão marcava a sua presença documentada, quando foi doado pela D. Chamôa Rodrigues ao Convento de Guimarães, através da sua tia Condessa Mumadona.
  • A primeira edificação foi com o Rei Wamba, último Rei dos Visigodos, entre os anos 672-680. No entanto pode ser uma atalaia da época da invasão muçulmana da Península.
  • A Santa Eulália do Rio Côvo aparece na sua primeira referência e na mais antiga no início do século X, mais concretamente em 906.
  • Esta igreja foi alvo de várias campanhas construtivas durante vários séculos, que foram motivos para várias atribuições de data de construção entre os séculos V e X.
  • O Templo de São Facundo tem todas as condições de ser oriundo do Reino Asturiano, uma vez que este tinha alcançado um momento de particular expansão nesta região de Trás-os-Montes, e crê-se...
  • A cinco quilómetros a sul de Nazaré, a Igreja São Gião é a verdadeira jóia de Portugal devido ao seu testemunho arquitetónico atendendo à sua antiguidade.
  • Erguida no convento beneditino instituído nos sécs. IX e XI extinto antes de 1245 por D. Sancho II e convertida em abadia secular na centúria de XIII.
  • Remonta a 951, ano em que foi referenciado no testamento de Ramiro II, dando a conhecer a existência de uma capela do santo anexa à do São Torcato.
  • Mosteiro de São João de Arnoia, foi um Mosteiro Masculino da Ordem de São Bento. Crê-se que tenha sido edificado no final do século X.
  • Presume-se que no local onde se encontra o mosteiro terá existido um templo romano dedicado a Júpiter, do século I, e uma Villa. Mas a primitiva edificação remonta a um pequeno mosteiro com uma...
  • Sendo a Igreja do Mosteiro também a Matriz de Paço de Sousa, é conhecida como Igreja do Salvador. Está incluído na Rota do Românico.
  • O Mosteiro de Pedroso, mais conhecido por Igreja Matriz de Pedroso, pertencente a Ordem de S. Bento, foi fundado em 867 por doação de Gondezinho.
  • O Mosteiro de S. Bento, Mosteiro de Santo Tirso ou, como é mais conhecido, Igreja Matriz de Santo Tirso, foi fundado em 978, conforme o documento publicado por D. António Caetano de Sousa.
  • O Mosteiro de Santo André de Rendufe é um dos poucos exemplos de mosteiro que têm a sua origem no tempo do Conde D. Henrique.