Porta da Cidade ou do Castelo

As portas da cidade, ou portas do castelo ou da vila, eram os únicos pontos de entrada nas muralhas que circundavam essas povoações ou castelos. Sendo muitas vezes postos defensivos, eram providas de torres, portões, grades ou pontes levadiças. Atualmente são unicamente pontos turísticos com valor histórico.


    Alminhas da Ponte

    Alminhas da Ponte
    Como o nome indica, estas Alminhas estão situadas perto da ponte D. Luís I, com o sentido de homenagem às pessoas mortas durante as Invasões Francesas.

    Arco D. Dinis

    Arco D. Dinis
    Este arco é o que resta de uma cerca de muralhas em redor da Vila, que D. Dinis mandou edificar, tendo apenas cinco portas de arco quebrado. Está classificada como Imóvel de Interesse Público desde o ano de 1955.

    Arco da Porta Nova

    Arco da Porta Nova
    Datada do século XVI, que remonta ao período tardo-romano, o Arco da Porta Nova é uma das três portas existentes nas muralhas de Faro.

    Arco da Porta Nova

    Arco da Porta Nova
    O Arco da Porta Nova é a porta de entrada na cidade de Braga. Foi aberta em 1512, no tempo de Arcebispo D. Diogo de Sousa.

    Arco da Vila

    Arco da Vila
    O Arco da Vila é a entrada primitiva de Ossónoba romana, atual Faro, uma edificação barroca da segunda metade do século XVIII.

    Arco de Repouso

    Arco de Repouso
    É uma das portas de acesso as muralhas medievais. Datado dos séculos XII e XIII, remonta ao tempo da dinastia almoada.

    Arco de Santa Clara ou Porta de Tempre

    Arco de Santa Clara ou Porta de Tempre
    Do século XIX, é de arquitetura romântica. Inicialmente teve como nome a Porta de Tempre, em referência ao combate da Ordem do Templo contra os Mouros, tendo rompido a muralha por este lado.

    Arco e Torre de Almedina

    Arco e Torre de Almedina
    É conhecida como o Arco de Almedina, justamente por a torre com o mesmo nome se situar mesmo atrás deste, mas na verdade chama-se de Porta de Barbacã, uma vez que esta serviu para reforçar a entrada da cerca, sendo esta datada do séc. XI.

    Arco, Torre do Relógio, Arcada

    Arco, Torre do Relógio, Arcada
    Estes dois elementos formam um só, todos eles situados na Praça da República e fizeram parte de um castelo medieval de que restou este pano composto pelo arco, a Torre do Relógio e a arcada ou arcaria.

    Cais das Colunas

    Cais das Colunas
    Situado no limite sul da Praça do Comércio, este Cais das Colunas era o local de embarque e desembarque de figuras importantes. Foi aqui que, em fevereiro de 1957, a Rainha Isabel II de Inglaterra desembarcou ao chegar a Lisboa pelo rio.

    Calçada Romana

    Calçada Romana
    Este pequeno troço, constituído por grandes pedras, é a parte final que dá acesso à entrada do Castelo de Sortelha através da Porta Nova.

    Castelo da Vila do Touro

    Castelo da Vila do Touro
    Um castelo com uma única porta, de São Gens, e das muralhas só existem dois fragmentos.

    Castelo de Arraiolos

    Castelo de Arraiolos
    Na colina do castelo ergue-se este monumental monumento do Paço dos Alcaides, assim igualmente conhecido, em que a sua edificação teve início nos princípios do séc. XIV por D. Dinis.

    Castelo de Borba

    Castelo de Borba
    O castelo foi mandado construir por D. Dinis, para assegurar a função defensiva em relação a Espanha e após a atribuição de Carta de Foral pelo mesmo rei em 1302, num local estratégico de onde se avista toda a região até Espanha.

    Castelo de Castelo de Vide

    Castelo de Castelo de Vide
    Após serem feitas e desfeitas as fortificações, devido a conflitos de interesse entre senhoriais, coroa e a população, o Castelo começou a ser edificado por iniciativa de D. Dinis.

    Castelo de Castelo Mendo

    Castelo de Castelo Mendo
    A Aldeia de Castelo Mendo é uma das mais antigas de Portugal, com vestígios que ascendem à época da Idade do Bronze e da Época Romana.

    Castelo de Castro Laboreiro

    Castelo de Castro Laboreiro
    O Castelo foi fundado em 955 por iniciativa de São Rosendo. D. Afonso Henriques conquistou este Castelo aos Leonenses em 1140, mandando-o reparar cinco anos mais tarde.

    Castelo de Lamego

    Castelo de Lamego
    Do primitivo castelo destacam-se a Alcáçova com a Torre de Menagem, a cisterna abobadada e duas portas, a dos Fogos e a do Sol. Serviu de Paços do Concelho durante os séculos XVI e XVII.

    Castelo de Leiria

    Castelo de Leiria
    O Castelo de Leiria teve o seu papel importante juntamente com outros na defesa e no aumento do território de Portugal, formando uma linha central nesta zona desde o litoral até ao interior.

    Castelo de Mirandela

    Castelo de Mirandela
    Do Castelo de Mirandela, o que resta é a porta de Santo António. A história deste remonta ao reinado de D. Dinis, nos finais do século XIII e princípios do século XIV.