Palácio de Santa Ana

Situado no centro de Lisboa, ao cimo da Calçada de Santana, a poucos metros da Igreja de São Luís da Pena, este edifício do século XVIII é o exemplo puro da arquitetura neoclássica. O Palácio de Sant'Ana, Santa Ana ou Santana, foi palco de diversas situações, desde que a sua edificação foi concretizada em 1740. Veio mais tarde, com o terramoto de 1755, a sofrer danos consideráveis a nível de interiores, entrando de seguida no período de reconstrução.

Nos anos posteriores veio a sofrer melhorias como os azulejos neoclássicos, os tetos em tela pintada, a introdução dos parquet nos salões nobres e molduras nas paredes. Em 1867 instala-se a Embaixada do Império Austro-Húngaro até ao início da Primeira Guerra Mundial, na qual houve a separação deste império, deixando por isso de fazer sentido.

No final da guerra é adquirido para residência familiar pelo Professor Doutor António Lino Neto, vindo o edifício a ser ocupado pela Direção Geral de Viação assim como pela Polícia de Viação e Trânsito. Aqui estiveram quarenta e oito anos, entrando depois o edifício num estado de degradação e ruína. Em 2000 foi adquirido pelo Arquiteto João Teixeira da Mota e sua mulher, iniciando obras de restauro para assim realizarem eventos, principalmente casamentos.

De planta retangular, tem as suas fachadas orientadas a norte e a poente, com esta a servir de fachada principal, e com as traseiras do edifício orientadas a nascente, e por isso com uma vista parcial sobre a cidade de Lisboa. Edifício de dois pisos, são todos os seus rasgos em moldura de verga reta ou arco abatido. No piso superior é formado por janelas de sacada em guarda de ferro.

Coordenadas GPS: N 38 43.096' W 009 08.359'  (38.71827, -9.13932)

Temas / Tags

Arroios, publicado em por