Estilo Neoclássico

O Estilo Neoclássico, ou neoclassicismo, nasceu na Europa em meados do século XVIII, tendo grande influência na arte e cultura até ao séc. XIX. Caraterizava-o o iluminismo e o interesse pela Antiguidade Clássica e a sua cultura. Veio contrapor os excessos decorativos do Estilo Barroco.

  • Como o nome indica, estas Alminhas estão situadas perto da ponte D. Luís I, com o sentido de homenagem às pessoas mortas durante as Invasões Francesas.
  • Este edifício do século XVIII está atualmente na posse do Estado, albergando uma organização de carácter social e beneficência.
  • É um edifício neoclássico do século XIX caracterizado pela fachada principal, que apresenta um esquema rico de jogo alternado de vãos.
  • O Balneário Termal, pertencendo ao conjunto hospitalar, vem refletir-se na mesma resenha histórica e cronológica do hospital, inclusivamente no mesmo espaço, dividindo com este a pequena praça Dª....
  • A Basílica da Estrela, ou Real Basílica e Convento do Santíssimo Coração de Jesus, um antigo convento de freiras carmelitas, apresenta características do estilo barroco final e do neoclássico.
  • A atual Basílica de Nossa Senhora dos Mártires, num projeto de Reinaldo Manuel dos Santos do século XVIII, foi construída em estilo barroco tardio e neoclássico.
  • Situado na Praça Luís de Camões, este magnífico edifício do século XIX, de linhas arquitetónicas neoclássicas, assemelha-se à sua congénere lisboeta.
  • O edifício dos Paços do Concelho, na Praça do Pelourinho (século XIX) ou Praça do Município, é a sede da Câmara Municipal de Lisboa.
  • Situado no centro histórico, no Largo D. João III, este edifício é datado do final do século XIX, pertencente ao neoclássico tardio.
  • Edificada em 1890 sobre uma outra antiga capela oitocentista, esta capela neoclássica de planta longitudinal é formada por nave e capela-mor retangulares, sendo esta mais baixa e estreita.
  • Pensa-se que esta capela remonta ao século XVI e que possivelmente um dos autores terá sido Nicolau Nasoni. É de planta longitudinal, de nave única retangular com um altar-mor e sacristia.
  • Crê-se que esta capela, também conhecida como Nossa Senhora do Calhau, foi edificada em 1420 por um dos descobridores e dignatários da ilha, João Gonçalves Zarco
  • À saída da cidade para Barcelos, num recinto arborizado, encontra-se a Capela de Nossa Senhora da Saúde edificada no séc XVI substituindo a capela primitiva, devotada a São Sebastião.
  • Como tantas outras capelas da região, a Capela ou Ermida de Nossa Senhora dos Aflitos ergue-se num importante trajeto do Vale do Vez.
  • Antes de Santa Eufémia, este templo religioso tinha a invocação ao Divino Espírito Santo, pertencente ao século XVIII em estilo barroco.
  • Este templo religioso do século XVIII, dedicado a Santa Maria Madalena, é agora a capela mortuária. Mostra sobre o frontão, que é ladeado por pináculos, um nicho também ladeado por pináculos.
  • A Capela de Santo António, da freguesia de Antas, apresenta na fachada um janelão, um cornijamento em granito sobre o qual assentam duas urnas. Tem azulejos do século XVII.
  • Esta capela surgiu de uma pequena ermida ou oratório dedicado a São Francisco, mas não se sabe a data em que foi instituída nem a época a que remonta o primitivo oratório.
  • Capela seiscentista de arquitectura maneirista e barroca, com nave única e capela-mor retangular.
  • Capela oitocentista composta de torre quadrada, nave e capela-mor retangulares, com a sacristia anexada à fachada lateral esquerda.