Santa Eulália

Santa Eulália de Mérida ou Santa Eulália de Barcelona são duas santas que se confundem com hagiografia semelhante. Ambas eram bastante jovens, viveram no início do séc. IV e foram torturadas e martirizadas por se recusarem a negar o cristianismo.

  • Esta capela está situada num desvio da estrada que liga Vila Meã à sede da freguesia, Deilão.
  • A Igreja Matriz de Constance está situada na Travessa da Igreja, sem qualquer dado existencial, levando-nos à possibilidade de pertencer entre os séculos XIII e XIV.
  • Igualmente conhecida como Paroquial de Tenões, pertencendo a uma freguesia que remonta ao século XI, este pequeno templo é uma edificação do final do século XIII e início do XIV.
  • Constava do Registo Geral no ano de 1551, na base da cruz no adro lê-se 1679, na base do púlpito lavrado em granito vivo lê-se 1693.
  • A freguesia de Arnoso apresenta este testemunho arqueológico, um belo exemplar do estilo românico, uma construção do século XII.
  • A Igreja Matriz de Couto de Baixo está situada no Largo do Pelourinho, num plano mais elevado aproveitando a inclinação do terreno.
  • Fachada frontal Fachada lateral Também conhecida como Igreja de Santa Eulália, este atual templo é uma reconstrução, no século XVIII, da primitiva medieval. Desta época o que resta é a pia...
  • A Igreja de Santa Eulália, Matriz de Gondoriz, remonta ao séc. XVIII e apresenta um desenho similar à Capela de Santa Maria da Madalena, na Falperra em Braga.
  • Edificada no séc. XVII, em 1657, pelo abade Nuno Álvares, enquadrada numa traça tradicional e rural, de planta retangular e de nave única, está rodeada por um adro murado.
  • A Igreja Matriz de Águeda é dedicada a Santa Eulália, padroeira da cidade, que é considerada como uma das maiores mártires dos três primeiros séculos da nossa era.
  • Situada a poucos metros da Capela do Cruzeiro, e sendo esta anterior ao ano 1756 e da pertença até então à Igreja Paroquial, há a probabilidade de a igreja ser do princípio do séc. XVIII.
  • A Igreja é conhecida também como Santa Eulália, devendo-se este nome à padroeira da aldeia e da igreja, indicada nas inquirições de D. Afonso III em 1258, em que pertencia ao Bispado de Tui.

Comentários