Cisterna

Realmente a cisterna não se pode comparar a outros monumentos existentes na cidade de grande interesse. Contudo tem o seu ponto de interesse e talvez ainda hoje tenha a sua função, embora de um ponto de vista diferente.

 

A sua construção iniciou-se no ano de 1650 para fazer frente ao perigo espanhol. Na altura houve a necessidade de uma defesa forte e daí os engenheiros militares que ali se deslocaram, para construções de muralhas e quartéis, pondo a hipótese de deitar abaixo uma parte do aqueduto da Amoreira.

Neste contexto de perda do aqueduto, o inteligente Martinho Afonso de Melo, Conde de São Lourenço, ordena a construção de um depósito de água à prova de bomba e que vai abastecer a população por vários meses. Este depósito fica ligado à cisterna por um cano subterrâneo através do fosso. Este mecanismo deve-se a Nicolau de Langres.

Mais ou menos dois séculos mais tarde foi considerada a maior cisterna maior do mundo, mantendo-se assim viva e inalterável até agora.

A cisterna é um edifício abobadado com um reservatório com capacidade de 2.300 metros cúbicos de água, na qual se desce por uma escada de vinte e seis degraus. No exterior tem uma fonte com um tanque de quatro bicas encimadas por mármore.

Coordenadas GPS: N 38 52.761' W 007 10.005'  (38.87935, -7.16675)
Elvas, publicado em por

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Os Mais Próximos

Cisternas


Cisterna
Castelo Rodrigo, Figueira de Castelo Rodrigo

Século XVII

Os Mais Vistos

Conventos e Mosteiros


Estilo Gótico

Estilo Neoclássico


Alminhas da Ponte
São Nicolau, Porto

Antigo Clube Inglês
Miragaia, Porto

Balneário Termal
Caldas da Rainha

Estilo Renascentista

Imóvel de Interesse Público

Palácios


Património Mundial

Portas da Cidade ou do Castelo

Século XVIII

Torre Sineira


A nossa Igreja
Freches, Trancoso

Antiga Igreja Matriz
Vila Pouca de Aguiar

Antiga Matriz de Alcoentre
Alcoentre, Azambuja

Recentes