O Aqueduto das Águas Livres é um sistema de captação e transporte de água com a sua condução até Lisboa. Com início na Mãe d'Água Velha, perto de Caneças, termina no reservatório da Mãe d'Água das Amoreiras. Este percurso principal tem 14 174 metros.

O Aqueduto

O Aqueduto das Águas Livres é um sistema de captação de água com a sua condução até Lisboa. Com início na Mãe d'Água Velha, perto de Caneças, termina no reservatório da Mãe d'Água das Amoreiras. Este percurso principal tem 14 174 metros.

No entanto, com as diversas ramificações desde a origem para a captação de água em 58 nascentes até à rede de distribuição dentro da cidade de Lisboa, o total atinge cerca de 58 quilómetros.

Como principal e mais emblemática devemos considerar os arcos sobre o vale de Alcântara bem como os arcos na Damaia, junto da estação da CP.

Construção

A construção iniciou em 1740 baseado num projeto iniciado quase 10 anos antes. Iniciou o seu funcionamento em 1748 e foram construídos diversos chafarizes na cidade com a água canalizada desde a Mãe de Água nas Amoreiras.

Note-se que nesse tempo não havia canalização como a atual nem motores para fazerem subir a água. Toda a condução desde as nascentes até ao reservatório e daí até aos chafarizes era feita unicamente pela força da gravidade com a inclinação das condutas, todas elas de pedra.

Por esse mesmo motivo os vales teriam que ser vencidos por pontes, uma vez que não havia qualquer processo para fazer subir a água, e daí os arcos que tiveram que ser construídos, com especial destaque em Alcântara.

Diminuição na Utilização

Devido à nova exploração da água vinda do Alviela, a importância do aqueduto começou a diminuir em 1880. Com a colocação de tubagens metálicas, o aqueduto manteve o funcionamento até 1967, sendo definitivamente desativado em 1968.

Local Turístico

Serve atualmente como ponto turístico de visita, salientando-se o "Bilhete Postal" formado pelos arcos do vale de Alcântara, pelo Reservatório das Amoreiras e os arcos junto e pelo passeio que se pode dar ao longo do Aqueduto. Há ainda os arcos na Damaia e os pequenos troços que se pode visitar em Caneças e Belas.

Classificação

Está classificado como Monumento Nacional desde 1910 e desde 2002 a classificação passou a incluir a Mãe de Água, em Lisboa.

Localização

Coordenadas GPS: N 38 43.717' W 009 10.204'  (38.72862, -9.17007)

Referências

Temas / Tags

Campolide, publicado em por

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar


Os Mais Próximos


Chafariz do Alto do Carvalhão
Campolide, Lisboa
(641 m SE)

Ermida da Cruz das Almas
Campolide, Lisboa
(719 m SE)

Miradouro Panorâmico de Monsanto
Benfica, Lisboa
(1 km W)

Estufa Fria de Lisboa
Avenidas Novas, Lisboa
(1 km E)

Aqueduto das Águas Livres


Claraboias da Reboleira
Falagueira, Amadora

Claraboias do Calhariz
Benfica, Lisboa

Arcos da Buraca
Benfica, Lisboa

Aquedutos


Aqueduto dos Caleiros
Brunhais, Póvoa de Lanhoso

Aqueduto do Cabo Espichel
Cabo Espichel, Sesimbra

Aqueduto do Louriçal
Louriçal, Pombal

Monumento Nacional

Século XVIII


Capela de Santa Ana
Safara, Moura

Paços do Concelho
Santa Maria Maior, Lisboa

Palácio dos Terenas
Massarelos, Porto

Os Mais Vistos


Lapa de Santa Margarida
Portinho da Arrábida, Setúbal

Ermida de Nossa Senhora da Lapa
Soutelo, Vieira do Minho

Ponte das Três Entradas
Ponte das Três Entradas, Oliveira do Hospital

Estilo Maneirista

Igreja Matriz


A Igreja Matriz, a Albergaria
Arrifana, Vila Nova de Poiares

Antiga Igreja Matriz
Vila Pouca de Aguiar

Capela da Senhora da Soledade
Olhão da Restauração, Olhão

Capela de Nossa Senhora da Saúde de Fetais
Santo Quintino, Sobral de Monte Agraço

Igreja e Hospital da Misericórdia

O Românico na Europa e em Portugal


Antigos Paços do Concelho
Castelo Novo, Fundão

Capela das Almas
Viana do Castelo

Capela de Fandinhães
Paços de Gaiolo, Marco de Canaveses

Praças de Touros


Praça de Touros
Póvoa de Varzim

Praça de Touros
Caldas da Rainha

Praça de Touros do Campo Pequeno
Avenidas Novas, Lisboa

São Felipe de Néri

Século XIX

Século XVI

Século XVII