Atualmente limitado à existência de uma torre e de uma janela manuelina, o Castelo de Vidigueira foi alvo de vários donatários. Como tantos outros, este também foi erguido com a função do repovoamento e consequentemente da proteção da região, reforçando a linha defensiva do Guadiana.

Primeiro Donatário

Castelo de Vidigueira
Castelo
Castelo de Vidigueira
Torre de Menagem

Estas ações que, na sua maioria, aconteceram no século XIII, tiveram na pessoa do Mestre Tomé, tesoureiro da Sé de Braga, e durante o reinado de Afonso III, o seu primeiro donatário, contribuindo também para a edificação da antiga Igreja Matriz da localidade.

Século XIV e D. Dinis

Castelo de Vidigueira - interior
Castelo de Vidigueira - interior
Pátio interior do castelo

No início do século XIV o Rei D. Dinis tomou para a coroa a posse da vila da Vidigueira.

Manteve-se nas mãos desta até aos finais deste mesmo século, quando D. João I a doou ao Condestável D. Nuno Álvares Pereira, através do casamento de sua filha D. Beatriz Pereira Alvim com D.Afonso Conde de Barcelos e 1º Duque de Bragança.

Assim o castelo e o termo da Vidigueira passariam para a posse da Casa de Bragança, a mais importante e opulenta do Reino de Portugal.

Foral de Vidigueira

Castelo de Vidigueira - janela
Castelo de Vidigueira - janela
Janela Manuelina

Nos finais do século XV o castelo retorna outra vez à coroa em consequência do confisco dos bens da Casa de Bragança. Manteve-se assim até ao ano de 1500 quando D. Manuel I revogou a decisão e, passado doze anos, outorgou o foral a Vidigueira.

Este mesmo monarca, em virtude de feitos gloriosos ultramarinos, concede a Vasco da Gama o título de Conde da Vidigueira.

Entretanto este muda-se de Évora para o Paço da Vidigueira, anexo à fortificação, edifício de que nada resta além de uma janela que se pensa ter sido geminada, uma vez que seguia o estilo manuelino e se nota sinais de ter existido um mainel.

A Construção

Castelo de Vidigueira - pedra de armas
Pedra de Armas

Quanto ao único elemento que resta, a torre que seria de menagem, também conhecida por Atalaia das Vidigueiras, é de uma construção robusta e maciça em aparelho regular.

Já está alterada com as sucessivas intervenções, tendo sido elementos do paramento da muralha utilizados para uma escadaria de acesso.

Ao centro, a fachada nascente apresenta uma pedra de armas referente aos Condes de Vidigueira que é formada por cinco escudetes em forma de cruz.

Classificação

Este conjunto, da torre e janela, está classificado como Imóvel de Interesse Público.

Localização

Coordenadas GPS: N 38 12.782' W 007 48.152'  (38.21303, -7.80253)

Temas / Tags

Vidigueira, publicado em por

 


Os Mais Próximos


Fonte de Vidigueira
Vidigueira
(178 m SE)

Torre do Relógio
Vidigueira
(317 m S)

Igreja de São Francisco
Vidigueira
(383 m E)

Igreja da Misericórdia
Vidigueira
(437 m SE)

Castelos

Estilo Manuelino

Imóvel de Interesse Público


Torre do Castelo
Aguiar de Sousa, Paredes

Castelo de Vilar Maior
Vilar Maior, Sabugal

Pelourinho de Almendra
Almendra, Vila Nova de Foz Côa

Ponte Medieval
Vilela, Arcos de Valdevez

Século XIII


Antiga Matriz de Alcoentre
Alcoentre, Azambuja

Marmoiral do Sobrado
Castelo de Paiva

Castelo de Terena
Terena, Alandroal

Os Mais Vistos


Lapa de Santa Margarida
Azeitão, Setúbal

Igreja de S. Simão
Azeitão, Setúbal

Ermida de Nossa Senhora da Lapa
Soutelo, Vieira do Minho

Ponte das Três Entradas
Ponte das Três Entradas, Oliveira do Hospital

Conventos e Mosteiros

Câmara Municipal

Estilo Renascentista

Igreja Matriz


A Igreja Matriz, a Albergaria
Arrifana, Vila Nova de Poiares

Antiga Igreja Matriz
Vila Pouca de Aguiar

Capela da Senhora da Soledade
Olhão da Restauração, Olhão

Capela de Nossa Senhora da Saúde de Fetais
Santo Quintino, Sobral de Monte Agraço

Monumento Nacional


Anta da Agualva
Agualva-Cacém, Sintra

Anta da Barrosa
Vila Praia de Âncora, Caminha

Anta de Santa Marta
Santa Marta, Penafiel

Nossa Senhora do Carmo

Século XIX

Século XV

Século XVI


Via Sacra