São João Batista

Segundo os Evangelhos, João Batista era filho do sacerdote Zacarias e Isabel, prima de Maria, mãe de Jesus. Sendo profeta foi quem anunciou a vinda do Messias, Jesus Cristo. É um dos santos populares, comemorado a 24 de junho.

  • Esta ermida está situada a cerca de 1 km de Campo Maior, é um local de peregrinação onde se realiza uma romaria em 23 de Junho, véspera do dia de S. João.
  • Desta capela sabe-se apenas que a sua existência era referida pelas fontes mais antigas e, segundo algumas destas, o pequeno templo já existia no XIII aquando da construção do mosteiro.
  • Situada na praça da Ribeira, é conhecida como a Fonte da Praça da Ribeira ou a Fonte de São João Baptista, sendo este último nome em homenagem ao padroeiro e Santo da cidade.
  • A Fonte de São João, situada junto da capela de São João Evangelista, no centro da vila do Luso, fornece aos visitantes uma água de nascente, de origem superficial.
  • Denominada também de Chafariz do Boneco, está situada no Largo Júlio de Castilho ao lado do Palácio de Angeja.
  • A Fortaleza, ou Castelo de São João Baptista é um dos marcos da maravilhosa cidade, Património da Humanidade, de Angra do Heroísmo, capital da fabulosa Ilha Terceira, Arquipélago dos Açores.
  • Popularmente conhecida e referida como Fortaleza do Pico, pois está situada no Pico dos Frias, como a Fortaleza de Santiago, esta também serviu a defesa da Cidade.
  • Também denominado Forte de João ou Forte de São João da Barra, foi edificado em 1670 pelo Conde de Vale de Reis para reforçar a proteção da Ria Formosa e o acesso ao porto de Tavira.
  • Forte de S. João Baptista, mais conhecido por Castelo de Vila de Conde, um forte para proteção da povoação das pessoas mais indesejáveis.
  • Forte de São João Baptista, na Ilha Berlenga
  • Forte com nome muito comum entre os fortes existentes em Portugal Continental e Ilhas, sendo este uma réplica do anterior, com aproveitamento do que restava das antigas muralhas.
  • A construção deste forte teve início em finais do século XVI (1557-78), durante o reinado de D. Sebastião.
  • Também conhecido como Forte de Esposende, foi edificado entre 1699 e 1704 durante o reinado de D. Pedro II, inserindo-se no plano de proteção da costa portuguesa e da entrada do Rio Cávado.
  • A Igreja de Lamas do Mouro, também conhecida por São João Baptista, foi um antigo Mosteiro de Templários. Após a supressão desta ordem em 1344 o cenóbio reverteu à coroa.
  • Esta igreja teve duas fases de construção. A primitiva foi fundada em 1300 em memória da celebração de paz entre D. Dinis e o Infante D. Afonso.
  • A Igreja S. João Batista, a Matriz de Tomar, remonta ao séc. XV, ao tempo do Infante D. Henrique, estando referenciada como ponto da reunião.
  • Considerada uma das igrejas mais antigas de Castelo de Vide, pertenceu à Ordem de Malta e era Comenda das Freiras da mesma ordem de Estremoz.
  • Esta Igreja foi edificada nos finais do século XVI, em estilo manuelino, onde se destacam os portais, os azulejos seiscentistas e os lavores das cantarias.
  • Pertence à época do românico tardio, compreendido entre os sécs. XII e XIV, quando o românico estava a ser substituído pelo novo estilo, o gótico.
  • Foi sucessivamente Capela de S. Vicente da Gafaria, Igreja de São João Batista e agora Museu Paroquial de Óbidos.