São João Batista

Segundo os Evangelhos, João Batista era filho do sacerdote Zacarias e Isabel, prima de Maria, mãe de Jesus. Sendo profeta foi quem anunciou a vinda do Messias, Jesus Cristo. É um dos santos populares, comemorado a 24 de junho.

  • Edificado no século XIV, foi sagrado em 1329 por D. Ambrósio Pereira Brandão, bispo de Ressiona.
  • Dedicada a São João Batista, a Igreja Matriz de Rio Caldo é de planta longitudinal, com a fachada principal orientada a poente, formada de uma só nave e capela-mor.
  • A Igreja de São João Batista de Queijada teve a sua origem em meados do século XIII, por isso uma edificação românica, a cargo da Ordem dos Hospitalários.
  • É na freguesia de São João Batista que o centro histórico se centraliza e, como tal, a Igreja Matriz que usa o mesmo nome está nesse canto da Vila.
  • Foi fundada pelos cavaleiros da Ordem do Hospital aquando da conquista da cidade, ficando pertença da Ordem dos Hospitalários e passando depois à comenda da Ordem de Malta.
  • Uma Igreja do século XIII, correspondente ao período românico, é formada por nave única, capela-mor e capelas laterais. Destaca-se o arco triunfal e o retábulo da capela-mor.
  • Este conjunto monástico foi edificado sobre um edifício romano dos meados do séc. I que viria a cair no abandono no séc. V.
  • Situada no centro histórico de Santarém, muito perto da Igreja da Misericórdia, a Igreja de São João de Alporão tem atribuída a sua edificação nas duas últimas décadas do séc. XII.
  • São João do Souto dá o nome à freguesia, ao largo onde o templo religioso se situa e também ao próprio templo que remonta ao tempo medieval, ao século XII.
  • A construção desta igreja corresponde aos séculos XVII e XVIII, tendo sido construída sobre a antiga igreja com o nome de São João de Belmonte, do século XVI.
  • A Igreja Matriz de Cepelos, no centro da localidade, dedicada a São João Batista.
  • Igreja de São João Baptista, Monumento Nacional, foi reformulada entre os anos de 1717 e 1738. Destaca-se a riqueza retabular e a decoração.
  • Junto do rio Onor, que atravessa as duas localidades vizinhas, ergue-se esta igreja matriz num aspeto semelhante ao habitual nas igrejas antigas desta zona de Portugal.
  • Igreja Matriz de Vila de Conde, substituindo uma anterior da qual não há vestígios, teve a sua obra começada em 1496, e a partir de 1502 a Coroa passou a financiar a obra.
  • Também conhecida como Igreja de São João, pertence à segunda metade do séc. XVIII.
  • Esta Igreja é do tempo românico, com obras de reconstrução em 1888, conforme a inscrição sobre a porta principal, que lhe transformaram o original.
  • A Igreja Matriz de Almeirim, dedicada a São João Batista, é uma construção do século XVI, de nave única com teto de madeira.
  • A Igreja Matriz de São João de Loure, dedicada a São João Batista, é uma construção do século XVII em que se destaca a talha dourada do mesmo século.
  • Também é conhecida como Igreja de São João Baptista, é apresentada com uma planta longitudinal de três naves, sendo as duas laterais mais recuadas do que a central.
  • Simbolizada na figura de São João Batista, este templo perdeu todos os seu traços de origem depois de sofrer danos irrecuperáveis do terramoto de 1755, tendo trabalhos de reparação em 1633 e 1762.