Fortes e fortalezas

As fortalezas são estruturas militares para defesa em situações de guerra. Sendo construídas desde que a humanidade quis criar uma proteção, a sua constituição tem evoluído ao longo dos tempos.

Em Portugal encontram-se muitas fortalezas junto da costa marítima para protegerem as povoações costeiras e o país, numa forma geral, dos ataques de piratas, corsários ou povos de outros países que atacam por mar. Podemos também encontrar fortalezas no interior, de que um bom exemplo é a Linha de Torres construída para defesa de Lisboa do ataque das forças francesas.

Por definição as fortalezas são constituídas por duas ou mais baterias de artilharia em obras independentes com grande intervalo entre si para assim melhorarem a sua capacidade de defesa.

  • O Forte de São Vicente teve o seu momento alto e de extrema importância durante as Invasões Francesas, quando serviu de baluarte para impedir estas mesmas tropas de avançarem para Lisboa, fazendo...
  • Situado na praia de Gelfa este, juntamente com mais outros fortes como a da Areosa, Carreço, Vila Praia de Âncora e o de Moledo, formam um conjunto de fortes na linha costeira entre Caminha e Viana...
  • Este forte, Obra Militar nº 9, faz parte da Rota Histórica das Linhas de Torres.
  • Forte ou Castelo do Pico, são as duas denominações de uma Fortaleza, em que, de resto, o único vestígio existente é o canhão. Tudo aconteceu na era Filipina, quando esta ilha era...
  • A sua situação num pequeno monte faz que este esteja numa posição dominante sobre a baía do Porto da Cruz. Da importância deste forte só são referenciadas três datas. A primeira surgiu com a...
  • Fortaleza de Santo António ou Forte da Ilha das Lebres, datado do século XVI, foi mandado erigir por D. Sebastião para proteger a foz do rio Gilão à entrada do porto de Tavira.
  • Este Forte é a obra militar nº17 e está inserido na 1ª Linha do sistema defensivo das Linhas de Torres Vedras.
  • Forte do Cavalo ou Forte de São Teodósio, é uma construção do século XVII edificada para defesa da baía de Sesimbra.
  • Foi edificado durante as Guerras da Restauração para defesa da costa Atlântica dos ataques da Armada Espanhola e para o cruzamento de fogo com a Fortaleza de Viana do Castelo.
  • Este fortim foi edificado durante as Guerras da Restauração para reforçar as outras fortificações já existentes e a defesa da orla marítima, dando apoio defensivo aos Fortes da Areosa e do Cão.
  • Este fortim foi edificado no séc XVIII, possuindo uma forma arredondada. Os pequenos canhões tinham a sua utilidade para as celebridades da Nossa Senhora da Natividade.
  • Fragmentos Fragmentos Situada na Praça da Autonomia, entre as ribeiras de Santa Luzia e João Gomes, pode-se ver fragmentos da muralha da Fortaleza de São Felipe edificada em 1581 para complemento...
  • Revelim Revelim Moinho Revelim é um pequeno forte, construído no cerro de zambujal a nascente da vila, mandado erigir pelo rei D. João IV. No interior deste revelim edificou-se uma ermida com...
  • As Ruínas do Forte de Nossa Senhora Mãe de Deus são o que resta do forte construído no século XVI.
  • A Sétima Bataria do Regimento de Artilharia de Costa de Outão, é uma unidade de defesa da costa e dos portos de Setúbal e Lisboa.