Ponte de São Gonçalo
Ponte de São Gonçalo

Para além da importância da ponte, conjuntamente com a igreja, por estarem considerados como os ex-libris da cidade, o facto é que a ponte acaba por ter uma grande importância tanto histórica como artística. Amarante é o centro da Rota do Românico, sendo a ponte a elaborar a diferença entre o românico mais elaborado e o menos. De um lado, a margem esquerda denota exemplares com linhas e decoração mais simples que a margem do lado direito, que é totalmente o oposto, mostrando todas as linhas mais elaboradas.

Crê-se que, primitivamente neste local, existiu uma ponte romana, dado ser este traçado da estrada romana que ligava Braga a Guimarães. Contudo, e já no século XIII, mais concretamente em 1250, e segundo as tradições locais, o Beato Gonçalo de Amarante terá construído ou reconstruído a ponte com dinheiros de esmolas obtidos por ele.

Em 1763 a ponte desmoronou-se completamente devido à subida excepcional das águas, sendo só em 1783 o início da sua reconstrução e assim até agora se manteve, inclusivamente manteve-se de pé na Guerra Peninsular, aquando das Invasões Francesas.

Sob o signo do século XVIII, foram introduzidos os estilos barroco e neoclássico. A ponte é formada por três arcos desiguais, em que o central é o maior, onde assenta um tabuleiro de perfil horizontal. O parapeito que resguarda o tabuleiro da ponte assenta numa cornija tubular e lavrada, de onde partem os pilares reforçados pelos contrafortes a montante e a jusante.

Está classificada como Monumento Nacional desde 1910.

Coordenadas GPS: N 41 16.141' W 008 04.701'  (41.26902, -8.07835)

Temas / Tags

Amarante, publicado em por