Imóvel de Interesse Municipal

Um bem considera-se de interesse municipal quando a protecção e valorização representa um valor cultural de importância municipal. Distingue-o da classificação de interesse nacional se esta última se mostra desproporcionada para o imóvel em questão.

  • Neste local existem as ruínas dos antigos engenhos de cana-de-açúcar, construídos no início do povoamento da Madeira. O elemento mais visível destas ruínas é o pórtico de entrada.
  • O edifício da Câmara Municipal foi o Solar dos Viscondes de Oleiros, fazendo parte dos edifícios que se situavam fora das muralhas nos sécs. XVII e XVIII.
  • Foi edificada nos finais do séc. XIX para reunir no seu edifício todas as repartições da Câmara, Museu Municipal, Tribunal, cartório.
  • A Capela das Pereiras, originalmente Capela de Santa Rita de Cássia, foi erguida no século XVI junto à antiga muralha. É formada por nave e abside retangular, separadas por um arco de volta perfeita.
  • Em 1758, esta Capela ergueu-se perto da fonte da praça e do local onde passava a muralha do Castelo. Pertenceu à confraria com o mesmo nome, já extinta.
  • A Capela de Nossa Senhora da Piedade, do séc. XVI, edificou-se sob a invocação de São Gregório.
  • Mais conhecida como Capela de Santa Cabeça, foi fundada em 1696 pelo Abade de Monforte, João de Prada, que instituiu o respectivo morgadio.
  • Foi fundada em 1249 por D. Lourenço Pires de Chaves, juntamente com a albergaria e morgado de Santa Catarina, junto ao castelo.
  • Esta capela foi edificada na segunda metade do século XVI, mais concretamente em 1567, segundo a inscrição na base do remate do edifício.
  • Situada no largo da aldeia, foi edificada no ano de 1743 sob o estilo barroco joanino, vindo substituir uma capela anterior do S. Bartolomeu, que tinha sido demolida em 1740. Com uma planta...
  • Um edifício habitacional urbano do séc. XVIII que revela uma cariz regional de grande interesse, resultado de uma época construtiva local que se verificou nesta centúria.
  • Um verdadeiro ex-libris da localidade de Foz de Arouce, nome que é atribuído a esta imponente casa senhorial, rodeada de terras de cultivo e vinhas.
  • Este Templo é datado de 1660, a mando de um nobre de nome D. Diogo Gonçalves por testamento para um colégio da companhia de Jesus.
  • O edifício está situado no centro histórico, no Largo do Visconde de Moselos, desde o ano de 1895, ano em que foi terminada a obra após três anos de construção pela mão do Conselheiro Miguel Dantas.
  • Na parte alta da cidade, no Largo da Santa Ana que leva o nome da ermida atualmente traduzida para capela, é uma edificação do séc. XVIII.
  • Esta ermida surgiu devido ao culto do santo mártir romano, tido como advogado contra as epidemias e contágios. De origem medieval, é de uma planta simples de uma só nave.
  • Esta capela foi referida em assento da Mesa da Santa Casa da Misericórdia de Almada em 1587, sendo por isso anterior a essa data.
  • Localizada no centro da vila, fazendo esquina entre as ruas da Misericórdia e Condessa das Canas, este edifício pertence à segunda metade do séc. XVIII.
  • Pertença em tempos da Ordem de Cristo, este templo mantém, relativo a essa época, apenas um portal romano, apresentando também uma torre sineira com coroamento piramidal.
  • A sua fundação no séc. XVII foi como capela com o nome de Santa Maria Madalena, e durante muitos anos funcionou como Igreja Matriz da Vila de Justes.