O Convento do Carmo, fundado por D. Nuno Álvares Pereira em 1389, ruiu pelo terramoto de 1755, nunca mais sendo recuperado.

Origem do Convento

Ruínas do Convento do Carmo
Ruínas do Convento do Carmo

O Convento do Carmo, fundado por D. Nuno Álvares Pereira em 1389, foi o antigo convento da Ordem dos Carmelitas da Antiga Observância. Foi fundado com os frades vindos do Convento de Nossa Senhora do Carmo de Moura, no Alentejo.

A igreja do convento foi a principal igreja gótica de Lisboa, concorrendo com a própria Sé de Lisboa na espetacularidade.

Destruição pelo Terramoto

Pelo terramoto do dia 1 de novembro de 1755 e consequente incêndio o convento e a igreja ficaram reduzidos a ruínas, mantendo-se até agora nesse estado e não sendo recuperados.

No reinado de D. Maria I ainda se tentou reconstruir uma das alas do convento, em estilo neogótico. A extinção das ordens religiosas fez com que a recuperação não prosseguisse. Desta reconstrução restam os pilares e os arcos das naves.

No século XIX era comum o gosto pelas ruínas, levando a que a recuperação não continuasse e criando assim mais um ponto turístico. As naves da igreja ficaram a céu aberto, um espaço onde se realizam espetáculos. A parte não ruída foi transformada em instalações militares em 1836.

Localização

Coordenadas GPS: N 38 42.717' W 009 08.443'  (38.71195, -9.14072)

Referências

Temas / Tags

Santa Maria Maior, publicado em por