Castelo de Pombal - entrada príncipal
Castelo de Pombal - parte traseira
Castelo de Pombal - parte lateral
Castelo de Pombal - parte lateral

A situação geográfica de Pombal é um indicativo benéfico no planeamento do território, uma vez que já era considerado como um ponto fortificado na disputa do território entre Cristãos e Muçulmanos. Por esta razão o Castelo de Pombal foi doado à Ordem dos Templários por D. Afonso Henriques em 1128, na condição da defesa da cidade de Coimbra, então capital do Reino.

Uma vez sob a responsabilidade dos Templários, sob a alçada de D. Gualdim Pais, realizou-se a construção da fortaleza segundo um dispositivo defensivo introduzido pela Ordem. Foi seguido da torre de menagem que teve o seu início no ano de 1171, com o término destas obras a acontecerem no final deste século.

Naquela época e sob o domínio da Ordem dos Templários em salvaguardar e expandir o território, este Castelo de Pombal faz parte de uma rede de seis Castelos Medievais como Almourol, Tomar, Idanha, Monsanto e Zêzere.

Assim se manteve inalterável até ao reinado de D. Manuel, em que sofreu uma inclusão de dispositivos adaptados à pólvora, quando se deu a reformulação da estrutura com a construção de barbacãs e do reforço das muralhas. Viria novamente ser restaurado na primeira metade do século XX, fruto ainda do ataque das tropas Napoleónicas.

O Castelo de Pombal tornou-se Monumento Nacional em 1910

Localização

Coordenadas GPS: N 39 54.861' W 008 37.494'  (39.91435, -8.62490)
Pombal, publicado em por