A ponte sobre o rio Lima entra nos elementos que mais contribuíram para o desenvolvimento da Vila, chegando a ser o seu ex-libris.

As Duas Pontes

Para além de permitir a travessia do rio Lima permite-nos entender o quanto antiga esta localidade é, e igualmente esteve na origem do atual nome de Ponte de Lima. Esta localidade recebeu o foral da Condessa D. Teresa de Leão em 4 de março de 1125, que a denominou de Terra da Ponte.

Na confluência de vários caminhos, sendo a travessia atualmente por peões, a ponte do Lima remonta a duas épocas verdadeiramente distintas, a Romana e a Medieval.

Uma ponte, duas partes, em que inicialmente remontava ao período romano, altura em que se deu a abertura das vias militares, sendo este um dos percursos que ligava Braga a Santiago de Compostela.

Parte Romana

Ponte Romana
Ponte Romana
Ponte Romana

A ponte romana teve a sua origem provavelmente no século I, durante o governo do Imperador Augusto. Atualmente desta ponte só resta um troço da margem direita do rio Lima, precisamente até à Igreja de Santo António da Torre Velha.

É formada por dois arcos de volta perfeita e por silhares de talhe regular em que assenta o tabuleiro de pavimento horizontal com seis metros de largura e protegido por guardas.

Parte Medieval

Ponte Medieval
Ponte Medieval

Entrado no período medieval, a (re)construção da ponte deve-se ao fato do desvio do rio para sul, o que provocou o derrube da antiga ponte romana.

A cronologia desta cai no entanto na dúvida, apesar de alguns autores atribuírem ao ano de 1359, altura em que se iniciou a construção da cerca, patrocinada por D. Pedro. No entanto a inscrição do ano na torre que abrigava a ponte em nada confirma a respetiva data, levando a crer que quer a estrutura militar como a ponte possam pertencer a um período anterior.

Descrição

Ponte Medieval
Ponte Medieval
Ponte Medieval

Da incerteza da cronologia da ponte à certeza da sua monumentalidade, sem paralelo em Portugal Medieval.

É formada por dezoito arcos apontados, com início no Largo de Camões até à Igreja de Santo António. Os primeiros arcos são reforçados por talha-mares para conferir um menor peso à estrutura e um melhor escoamento em altura das cheias.

Ponte Medieval

No reinado de D. Manuel, e para reforçar a importância militar, este monarca mandou colocar ameias ao longo das guardas. Destes pode-se atualmente observar algumas existentes no início da ponte, que confronta com o Largo de Camões.

Classificação

Esta ponte do Lima está classificada, desde o ano de 1910, como Monumento Nacional.

Localização

Coordenadas GPS: N 41 46.152' W 008 35.194'  (41.76920, -8.58657)

Referências

Temas / Tags

Ponte de Lima, publicado em por