Também denominado de Palácio dos Carvalhos, o Palácio Pombal foi mandado edificar na 1ª metade do século XVII pelo avô de Sebastião José de Carvalho e Melo, futuro Marquês de Pombal e primeiro ministro do Rei D. José I.

Construção e Recuperação

Palácio Pombal

Segundo alguns autores, o Marquês de Pombal terá nascido nesta casa. No final do século XVIII, após o terramoto de 1755, a casa já lhe pertencia.

Apresentando a decadência e degradação própria do abandono, foi recuperado no final do século XX.

Descrição

O piso térreo apresenta-se com diversas portas e janelas de moldura reta. As janelas e as portas são encimadas por janelas no piso nobre, todas protegidas por sacadas de ferro. Apresenta ainda um segundo piso acima do piso nobre, no qual se vê janelas de peitoril mais pequenas do que as restantes. Tem ainda águas furtadas recuadas.

No portão principal vemos o brasão de armas dos Carvalhos e Albuquerques do 5º Marquês de Pombal, as armas dos Carvalho e Melo, encimadas pela coroa marquesal, e a pedra de armas dos Condes de Oeiras.

No interior destaca-se os azulejos do século XVIII, os estuques relevados e policromados, os motivos escultóricos e a escadaria nobre.

Uma galeria subterrânea liga o jardim do palácio ao chafariz localizado no largo em frente.

Classificação

O conjunto que abrange o palácio, o largo e o chafariz fronteiro, está classificado como Imóvel de Interesse Público.

Localização

Coordenadas GPS: N 38 42.782' W 009 08.856'  (38.71303, -9.14760)

Referências

Temas / Tags

Misericórdia, publicado em por