Pontes Romanas

Das diversas construções romanas em Portugal destaca-se as pontes. São construções que, apesar das centenas de anos que entretanto passaram, continuam a servir o seu objetivo, permitir atravessar os rios a pessoas, animais e veículos.

Muitas foram remodeladas ou substituídas por outras mais recentes, mas muitas mais continuam a sua função exatamente como eram quando foram construídas, mostrando a sua resistência.

  • Mais uma ponte Romana de três arcos, confirmando-se que a sua estrutura inicial foi alterada ao longo dos tempos.
  • Não se sabe as origens desta ponte, se foi construída no tempo da ocupação romana ou se foi posteriormente, mas seguindo a arquitetura romana.
  • Mais um exemplar da era romana com dois arcos, dos sécs. II a IV d.C. Esta ponte ligava a via da Torre de Almofala a Guarda.
  • Mais um exemplar romano de três arcos, e em bom estado de conservação, da era da romanização em 150 a.C.
  • Ponte Romana de Chaves, também conhecida por ponte Trajano, atravessa o magnífico rio Tâmega unindo o centro da cidade e a outra margem.
  • Mais um exemplar da época romana, de um só arco de volta perfeita, em que assenta um tabuleiro em cavalete.
  • Mais um belo exemplar do romano, que atravessa o rio de São João do Monte. Ponte com cinco arcos perfeitos, sendo maiores os dois centrais, com um tabuleiro reto.
  • Já pouco resta da infra-estrutura original, remontando a construção ao séc. XVI. É uma ponte do um arco suportando um tabuleiro em cavalete.
  • A freguesia da Beselga possui uma ponte romana, exemplar valioso da história e da arquitectura regional e local. (Inserido sem identificação do autor)   Coordenadas GPS: N 40 56.649' W 007...
  • Mais um exemplar de uma ponte Romana, esta que serve a grande cidade romana de Ammaia de então, devido ao seu círculo comercial, fazendo a ligação viária de Sul/Norte.
  • É uma ponte de granito com sessenta metros de comprimentos, assente em trinta e quatro pilares baixos, com três metros e meio de largura.
  • Ponte Romana ou Ponte da Ribeira de Nede, datada do século III, esta ponte dava continuidade ao caminho, dos mais antigos, que ligava Santarém a Porto de Mós.
  • Esta ponte romana é formada por três arcos sustentados por talha-mares piramidais e tabuleiro em ângulo.
  • Sendo a ponte dessa época da ocupação romana, leva-nos até ao século I a.C., fazendo assim a ligação entre as margens do rio Alva, que liga Arganil a Côja.
  • A origem da ponte terá sido durante o período romano, com uma reconstrução medieval e obras no século XVI ou XVII. Tem anexados o cruzeiro e as alminhas.
  • Mais uma Ponte Romana, também com a denominação de Ponte Velha, que atravessa o Rio Malara. Foi edificada no tempo da presença dos romanos em Trás-os-Montes.
  • Uma ponte da época da ocupação romana na Península, a cerca de 400 m de uma importante vila da mesma época, atravessa a ribeira de Muge.
  • Esta ponte, que está em excelente estado de conservação, situa-se próximo da igreja da Senhora da Graça, sobre a ribeira de Nisa.
  • Uma ponte romana de dois arcos que atravessa o ribeiro Teja. Mais uma história de uma ponte que passou ao esquecimento.
  • Esta ponte de Ola é mais uma ponte romana de três arcos, em que o tabuleiro assenta num arco de volta perfeita, flanqueado pelos outros dois.