Convento de Santa Maria de Semide
Convento de Santa Maria de Semide

Acompanhou o início da história de Portugal e esteve fortemente ligado à Famíla Anaia, da qual se desenrolou a história deste edifício. A sua primeira referência documental, datada de 1154, tem como funcionalidade inicial o mosteiro para receber os monges beneditinos. A edificação foi atribuída a dois irmãos Anaia, nomeadamente ao padre João e Martim. E o interesse da família continuou em 1183 quando a neta de Martim Anaia transformou o mosteiro em convento para assim poder receber as descendentes do fundador, sendo por isso extinta a casa masculina.

Convento de Santa Maria de Semide - Claustros
Convento de Santa Maria de Semide - Claustros

A acompanhar o seu verdadeiro historial, iguala-se também um historial de desastres, a começar no século XVI com as tentativas de reforma ligadas à ordem cistercienses, e por isso um sentido de extinguir o Convento de Semide, deslocando as irmãs para Santa Ana, em Coimbra. O plano de deslocamento viria a ser concluído só no decorrer do século XVII. Já não bastava o abandono deste edifício, quando em 1664 sofreu um incêndio de grandes dimensões, o que obrigou a uma renovação do conjunto monástico, em que a reconstrução seria parcial. Desta parcialidade sobrou o claustro superior e as respetivas alas, e a igreja. Assim, da construção primitiva já nada resta, tendo como o indicador mais antigo o claustro inferior correspondente ao ano de 1540.

Convento de Santa Maria de Semide
Convento de Santa Maria de Semide

Este edifício é formado por dois corpos, um conventual que se desenvolve numa planta em L e o templo religioso, seguindo a planta retangular. Da parte conventual, formada por dois pisos, tem nos seus rasgos basicamente janelas retangulares quadradas e pequenos postigos. Sensivelmente ao centro deste conjunto, a abertura de uma arco de volta perfeita que dá acesso para o claustro. A igreja apresenta três rasgos de janelas de grandes dimensões e duas mais pequenas quadradas. O portal, o elemento de maior realce, segue uma linguagem barroca de moldura reta, sendo ladeado por pilastras e encimado por um medalhão com a imagem de São Bento e Santa Escolástica, e o escudo da ordem envolto por aletas.

 Está classificado como Imóvel de Interesse Público

Coordenadas GPS: N 40 09.487' W 008 20.208'  (40.15812, -8.33680)

Temas / Tags

Semide, publicado em por