Campo Militar de São Jorge, Nucleo nº 2
Este campo situa-se a dois quilómetros do Núcleo nº 1 do Campo Militar de S. Jorge, correspondendo esta divisão ao desenrolar da Batalha de Aljubarrota, sendo que no primeiro se desenrolou o início da batalha e no segundo o final.

Este campo situa-se a dois quilómetros do Núcleo nº 1 do Campo Militar de S. Jorge, mas o suficiente para que nos tempos atuais esta divisão em duas partes as fazer corresponder a outras tantas freguesias e concelhos, Batalha e Calvaria de Cima (Porto de Mós).

Mapa da Batalha de Aljubarrota

A divisão dos núcleos corresponde ao desenrolar da Batalha de Aljubarrota, sendo que no primeiro se desenrolou o início da batalha e no segundo o final. Foi para esta segunda posição que se deslocou a batalha, sob o comando de D. Nuno Álvares Pereira, conhecido como Condestável do Reino.

O golpe final deu-se 14 de Agosto de 1385 no cimo de um planalto onde a posição era defendida pelas caraterísticas naturais do terreno, com a ajuda da abertura de fossos e da construção de barreiras de proteção camuflada. Aqui está a razão para que neste segundo núcleo se situe o Centro Interpretativo da Batalha de Aljubarrota, e também aqui se situa a Capela que toma o nome de São Jorge.

O plano "Vanguarda Apeada" foi a tática adotada pelos Portugueses na batalha. Esta consistiu em sucessivas fileiras de lanceiros destinados a enfrentar a cavalaria inimiga, conhecida como a técnica do quadrado, uma das novas técnicas de defesa da Infantaria introduzida na Europa durante a Guerra dos Cem Anos.

Transferida a tática para a Batalha de Aljubarrota, os Espanhóis que pretendiam avançar com a cavalaria depressa foram impedidos através das obras de fortificação levantadas pelos Portugueses, que impediram o ataque obrigando inclusivamente o inimigo a desmontar. As montadas restantes não conseguiram rodear e cercar a formação Portuguesa, devido ao estreitamento do planalto, conseguindo que oito mil homens do D. Nuno Álvares Pereira e do recém aclamado D. João I levassem de vencida os quarenta mil castelhanos de D. João de Castela. Os Espanhóis não conseguiram reorganizar uma nova campanha militar, e assim se fez sentir a vitória nacional e consequentemente a restauração da Independência, e com ela o início de uma nova Dinastia.

Campo Militar de S. Jorge
Campo Militar de S. Jorge

A Batalha de Aljubarrota foi considerada como o cenário de batalhas mais relevantes da Europa Medieval, como também é das poucas onde foi possível reconstruir o posicionamemto das tropas, baseado em diversas escavações arqueológicas de diversas épocas.

A primeira campanha deu-se entre 1958 e 1960, retomada mais tarde nos anos oitenta e noventa e, finalmente, entre 2003 e 2004. Estas escavações permitiram encontrar 830 covas de lobo ou armadilhas escavadas, dispostas em quarenta filas, uma fossa com 182 metros de extensão e outras mais pequenas. Aljubarrota é um dos exemplares mais significativos dos sistemas e táticas utilizados na Europa dos finais da Idade Média.

O Campo Militar de São Jorge, que se situa no perímetro do Mosteiro, da Ponte de Boutaca até a Capela de São Jorge, está classificado como Monumento Nacional desde 2010.

Veja outros pontos de interesse
nesta localidade Calvaria de Cima
ou neste concelho Porto de Mós
Outras localidades deste concelho Porto de Mós

Localização

Coordenadas GPS: N 39 38.450' W 008 50.929'  (39.64083, -8.84882)
Calvaria de Cima, publicado em por