Ruínas Romanas

Os mais famosos sinais da presença romana em Portugal são as ruínas romanas, cidades ou pequenas povoações que foram descobertas e, em alguns casos, recuperadas.

  • Estas termas são conhecidas do tempo pré-histórico, mas foram os romanos quem as impulsionou e lhes deu mais conhecimento, criando um balneário.
  • A barragem romana serviu para fornecer água ao aqueduto romano de Amadora, de onde, segundo algumas fontes, seguiria para Lisboa.
  • A cidade de Ammaia, do século I d.C., é o mais importante vestígio da sua época, da civilização romana, existente na região do norte alentejano.
  • Esta estrutura castrejo-romana Tongóbriga foi possivelmente criada pelo Imperador Augusto, que fez com que esta evoluísse nos campos político, económico e administrativo.
  • Esta estação Arqueológica de Prazo é mais um verdadeiro exemplar de uma Villa Romana que teve a sua ocupação entre o século I e o início do V d.C.
  • Estas Ruínas Romanas, ou o que resta delas, são dos séculos III a V d.C. Do que está visível, esta estação está dividida em partes, um balneário e tanques para a salga, separada a meio por uma rua.
  • O território aurífero de Tresminas constituiu o mais importante do Portugal Romano por ser o mais complexo e o melhor conservado.
  • Situadas na encosta sul da colina do Castelo de São Jorge, estas ruínas mostram o teatro romano construído no século I, no tempo do imperador romano Augusto, e reconstruído no tempo do imperador Nero.
  • As ruínas romanas de Conímbriga mostra o local e o modo de vida onde existiu uma povoação desde a Idade do Cobre que foi habitada até ao século IX.
  • As fotos são de uma luxuosa e rural casa romana de uma prospera vila do século III d.C. Esta vila foi grandiosa e luxuosa nesse século, tendo sido transformada numa exploração agrícola.
  • Neste local existem vestígios da civilização romana, do séc. I, com modificações nos séculos II e IV. Ali encontramos termas, um jardim e um templo.
  • Estas ruínas romanas, muito perto da marina de Vilamoura, favoreciam o comércio de mercadorias e o aproveitamento dos recursos marítimos.
  • Sobre o edifício há muito poucas referências, somente que é datado do século XVIII, sob o estilo barroco. Está transformado no museu de arqueologia.
  • Na praia das Angeiras situa-se esta estação arqueológica, um magnífico exemplo da arquitetura industrial romana existente e único do norte de Portugal.
  • Ruínas do templo romano à deusa Diana
  • Situa-se num planalto, na zona urbana dentro do perímetro da Muralha Medieval da cidade de Santarém, ao lado do Jardim das Portas do Sol, na antiga zona de Alcáçova.
  • Esta torre é a parte mais notável de um conjunto de ruínas que na era romana era um templo e na Idade Média serviu para torre de vigia.