Do Miradouro de Santo António temos esta vista de uma Pernes histórica, palco de vários acontecimentos marcantes para a nacionalidade reforçando a história local.
Vista Geral
Vista Geral

Do Miradouro de Santo António temos esta vista de uma Pernes histórica, palco de vários acontecimentos marcantes para a nacionalidade reforçando a história local.

Remontando ao período anterior à nacionalidade, aqui D. Afonso Henriques assentou arraiais na conquista de Santarém ao Mouros e as tropas miguelistas foram expulsas por Marechal Sandanha, em 1833, destruindo a maior parte dos moinhos que serviam para abastecer D. Miguel e suas tropas, situadas em Santarém.

Os moinhos, elementos centrais e por vezes decisivos no desenrolar e desenvolvimento de Pernes, foram referenciados em 1165 quando foram doados a D. Gualdim Pais e à Ordem dos Templários. Em 1398, estes foram confiscados devido à traição de João Fernando Pacheco, guarda-mor do Concelho, pelo Rei D. João I, com os demais bens móveis.

No século XV os moinhos entraram novamente na ribalta quando foram doados a Dª. Beatriz da Silva, Condessa de Abrantes, desta vez pelo Rei D. Afonso V. Também neste século se deu início ao mercado semanal.

No século XVII deu-se a edificação do Colégio da Companhia de Jesus, do qual saíram os Padres António dos Reis e Luís Cardoso, em que o primeiro foi fundador da Academia Real de História e o segundo do Dicionário Geográfico. Também merece referência Simões Froes de Lemos, escritor e genealogista, entre outros.

No século XVI Pernes recebe o foral de D. Manuel e é elevado à categoria de vila e consequentemente concelho. Entretanto, com esta importância, ainda neste século é-lhe atestada a instituição da Misericórdia. A importância mantêm-se, conseguindo por isso o Cartório Notarial em 1619, permanecendo assim até 1950.

Temas / Tags

Pernes, publicado em por