A capela da Tojeirinha é uma edificação do século XVII, datada de 1631, em que os gafeiros contribuíram e também edificaram um hospital e um dormitório.

História

Capela da Tojeirinha
Capela e recinto

Estes pequenos templos religiosos, por várias razões, são edificados no verdadeiro sentido da religiosidade. Esta capela da Tojeirinha vem contrariar um pouco essa ideia por ter sido indiretamente edificada por outras razões, não excluindo o sentido cristão dessas mesmas pessoas.

Segundo algumas versões, o que em nada corresponde diretamente à lenda existente ligada à capela, e de certo modo que não passa disso, o mais provável é que a construção tenha sido feito pelos gafeiros.

Efetivamente a capela da Tojeirinha é uma edificação do século XVII, em que os gafeiros (palavra dominante da altura a significar os leprosos) contribuíram, e também edificaram um hospital e um dormitório que viria a transformar-se numa gafaria e finalmente num cemitério. Tudo este conjunto viria a realizar-se num espaço isolado onde havia alguns palheiros. Esta situação deve-se ao surto de lepra que ocorreu na região, obrigando-os por isso a se isolarem e, com os gafos, trouxeram as imagens de Nossa Senhora e Santo Estevão, o qual adotaram como patrono pois era o protetor dos leprosos.

Sendo datado de 1631, viria a sofrer uma campanha de ampliação em 1889 e, no início da década de noventa deste mesmo século, foram construídos os altares laterais, restaurado o altar-mor e colocado exteriormente o campanário e o sino. Finalmente foi reparada em 1960 e restaurada em 1986.

Descrição

Capela da Tojeirinha
Fachada da capela
Capela da Tojeirinha
Face oriental
Capela da Tojeirinha
Face ocidental

O templo traduz a simplicidade da sua edificação, sendo constituída pela nave e capela-mor. Adossados a esta no lado esquerdo está a sineira com a fachada principal e, num plano mais recuado, está a sacristia. A fachada principal é delimitada por pilastras com remates de pináculos em forma de vasos, e a empena triangular possui o portal principal em arco de volta perfeita encimado por uma janela oval.

A Lenda de Nossa Senhora da Tojeirinha

Na sequência das Invasões Francesas as imagens da Nossa Senhora e Santo Estêvão foram retiradas da capela, e a de Nossa Senhora foi enterrada no meio do mato. É possível que indiretamente a lenda esteja ligada a esta imagem, pois é aqui começa a lenda em que um agricultor vai lavrar um terreno inculto perto da capela.

A uma certa altura do arado, o agricultor depara-se com um pequeno tojo e, não fazendo caso disso, continuou a lavrar com a implicação de que o arado ficou cravado por completo de maneira a que a junta de bois estagnasse e dali não saíssem.

Perante tal evidência e admiração do agricultor, este resolveu com as próprias mãos escavar o dito tojo até que encontrou a imagem de Nossa Senhora com o Menino ao colo. O espanto do agricultor foi tal que, de seguida, correu para a aldeia a contar o sucedido, sendo seguido pelos aldeões até ao sítio. Por o tojo estar no lugar dos tojeiros, apelidaram a Nossa Senhora de Tojeirinha, levando-a em procissão para a capela de Santo Estêvão. Ao sair desta, maior foi o espanto da população quando a junta de bois, que ficou presa, estava ali presente.

Ali mesmo começou a devoção a Nossa Senhora da Tojeirinha, pela qual todos os anos se realiza a procissão até agora, fazendo-se a bênção dos animais, seguido de três voltas à capelinha. Assim se manteve até agora o nome de Capela de Nossa Senhora da Tojeirinha.

Cruzeiro

Cruzeiro
Cruzeiro, face norte
Cruzeiro
Cruzeiro, face sul

No pequeno largo que rodeia a capela, e em frente a esta, está o que é considerado como um dos cruzeiros mais belos do distrito. É um cruzeiro construído todo em pedra calcária, esculpido nos dois lados com alusão aos símbolos da Paixão de Cristo.

Localização

Coordenadas GPS: N 39 36.851' W 008 47.048'  (39.61418, -8.78413)

Referências

Temas / Tags

Alqueidão da Serra, publicado em por