Esta escultura foi construída em estafe por ocasião da Exposição do Mundo Português de 1940. Foi feito de novo em betão armado e pedra entre 1958 e 1960.

Construção

Padrão dos Descobrimentos

Esta escultura foi construída em estafe por ocasião da Exposição do Mundo Português de 1940. Foi feito de novo entre 1958 e 1960 pelos escultores António Leopoldo de Almeida, Ângelo Cotinelli e António Pardal Monteiro, em betão armado e pedra rosal de Leiria.

Foi inaugurado em janeiro de 1960 pelas comemorações dos 500 anos da morte do Infante D. Henrique.

Descrição

A escultura representa um navio com três velas que avança pelo Rio Tejo. Inclui 32 figuras nas duas rampas laterais, que representam personalidades dos descobrimentos, mas também das letras e das artes, guerreiros e evangelizadores. Na proa está o Infante D. Henrique em destaque.

Todos apresentam indumentária típica da época dos descobrimentos, os séculos XV e XVI.

No paredão sobre as velas vemos as armas portuguesas do século XVI. A parte posterior do padrão, em toda a sua altura, representa uma espada decorada no punho com a Cruz de Avis. É na base desta espada que se encontra a porta de entrada para o monumento.

Atualidade

Desde 1985 contém um auditório e diversas salas para exposições temporárias. No topo da construção, para onde é possível subir, obtém-se uma bela vista sobre o Rio Tejo e a zona ocidental de Lisboa.

Localização

Coordenadas GPS: N 38 41.623' W 009 12.337'  (38.69372, -9.20562)

Referências

Temas / Tags

Belém, publicado em por