Um pelourinho manuelino construído após a atribuição do foral por D. Manuel I, de que resta apenas a plataforma de sustentação e os degraus octogonais.

História

Pelourinho de Nazaré
Pelourinho de Nazaré

Porque a história levou outros contornos e caminhos, Pederneira perdeu o poder que lhe era devido que acabou por ser transferido para a povoação que hoje é conhecida como Nazaré. A estranheza deste pelourinho advém do próprio nome da localidade, baseando-se num tronco grosso como um pinheiro redondo de altura de cinco palmos de pederneira.

Por esta razão é considerado como um dos mais insólitos pelourinhos que estão relacionados com o estatuto de concelhia, sendo na sua origem umas das catorze vilas do couto de Alcobaça, apesar da existência de algumas divergências na altura.

Em 1514, no reinado de D. Manuel I, foi concedido a Pederneira um novo foral mostrando a importância desta vila na parte oeste de Portugal, mantendo-se assim nos três séculos seguintes até ser integrada no concelho de Nazaré.

Descrição

Deste segundo pelourinho Manuelino apenas resta a plataforma da base de sustentação, composta por quatro degraus octogonais, não havendo qualquer explicação para o desaparecimento do monumento.

A base é composta por quatro degraus octogonais, caraterística dos primeiros anos do século XVI, sendo a parte superior formada por um tronco grosso, símbolo de Pederneira.

Classificação

Apesar do estado em que se encontra, não deixa de pertencer aos Imóveis de Interesse Público.

Localização

Coordenadas GPS: N 39 35.859' W 009 03.861'  (39.59765, -9.06435)

Temas / Tags

Nazaré, publicado em por