Solar do Visconde de Almendra
Fachada do Solar
Solar do Visconde de Almendra
Porta
principal

O Solar de Visconde de Almendra é de uma planta retangular, comprida, que caracterizou a arquitetura civil do nosso País no século XVIII, e que se pauta por um desenvolvimento em comprimento, materializado numa longa fachada apenas dinamizada pelos elementos decorativos que lhe emprestam uma imagem cenográfica própria do barroco.

Com início da edificação próximo do ano 1743, foi interrompida em 1758 nunca chegando a ser concluída. Contudo este edifício viu o exército Napoleónico entrar pela casa adentro, tornando-se responsáveis pelo incêndio que em 1810 destruiu boa parte do imóvel que só viria a ser reconstruída em 1895.

Descrição

Edifício de granito, de dois pisos, cujas fachadas são abertas por vãos regulares e simétricos. Estes caracterizam-se pelos aventais e lintéis decorados com enrolamentos e concheados rococó. Nos cunhais, os pilares assentes sobre embasamentos terminam em capitel compósito suportando a cornija que percorre todo o edifício. É no entanto na fachada principal que se encontra a mais importante decoração pelo dinamismo e movimento que a composição imprime ao edifício.

Este solar pode-se considerar integrado num pequeno conjunto de solares setecentistas de grande imponência edificados na margem do Douro e onde se sente a influência e a estreita ligação do trabalho tardo-barroco de Nicolau Nasoni e da sua encenação da cidade através da obra das fachadas.

Classificação

Este Imóvel tem a classificação de Interesse Público.

Localização

Coordenadas GPS: N 41 00.000' W 007 03.260'  (41.00000, -7.05433)

Temas / Tags

Almendra, publicado em por