Vista Geral
Vista Geral

"Arcos de Valdevez Onde Portugal se Fez" é o lema que ficou na história desta pequena vila estrategicamente posicionada à entrada do Parque Nacional da Peneda-Gerês e que viria a ditar o futuro de Portugal. Vila lendária com mais de novecentos anos de história, remonta ao período da pré-história, deixando vestígios de monumentos funerários que se destacam na estação rupestre de Gião.

De seguida, o período de romanização também se fez sentir através das vias de comunicação, especialmente as pontes que cruzavam os muitos vales do grande concelho. Entrou-se no período medieval, em que surgem os mosteiros, sendo essencial para a sobrevivência da região, mantendo a estabilidade com apoio alimentício, material e espiritual para a população.

Finalmente veio o período da nacionalidade, com o processo da independência do reino de Portugal, em que no séc. XII as terras de Arcos de Valdevez foram local de vital importância quando se travou a guerra entre D. Afonso Henriques e Afonso VII, Rei de Castela e Leão. Decorria o ano de 1140 em que Valdevez começou a fazer história com o lema "Torneio de Valdevez " e mais tarde também com os espanhóis, na Guerra da Restauração, a vila foi reduzida a cinzas por ordem de um general espanhol.

Para terminar vem o topónimo da vila, tendo surgido precisamente com o "Vale" que o rio Vez percorre, e consequentemente o rio é atravessado por uma ponte de quatro arcos. Daí veio ao de cima, o nome de Arcos de Val-de-Vez, como no século X se denominava. Entretanto e mais tarde veio a ficar Arcos de Valdevez.

A sua existência anterior à romanização veio a ser referenciada no século X no testamento de Mumadona Dias, de Guimarães.

Arcos de Valdevez, publicado em por

 


Os Mais Vistos

Lapa de Santa Margarida
Lapa de Santa Margarida
Azeitão, Setúbal
Igreja de S. Simão
Igreja de S. Simão
Azeitão, Setúbal
Ermida de Nossa Senhora da Lapa
Ermida de Nossa Senhora da Lapa
Soutelo, Vieira do Minho
Ponte das Três Entradas
Ponte das Três Entradas
Ponte das Três Entradas, Oliveira do Hospital

Conventos e Mosteiros

Câmara Municipal

Escolas e Universidades

Estilo Renascentista


Igreja Matriz

Igreja Matriz de Arrifana
A Igreja Matriz, a Albergaria
Arrifana, Vila Nova de Poiares
Antiga Igreja Matriz
Antiga Igreja Matriz
Vila Pouca de Aguiar
Capela da Senhora da Soledade
Capela da Senhora da Soledade
Olhão da Restauração, Olhão
Capela de Nossa Senhora da Saúde de Fetais
Capela de Nossa Senhora da Saúde de Fetais
Santo Quintino, Sobral de Monte Agraço

Nossa Senhora da Assunção

Santo Estêvão

Capela de Santa Estevão de Arrifana
Capela de Santa Estevão de Arrifana
Arrifana, Santa Maria da Feira
Capela de Santo Estêvão de Brunhido
Capela de Santo Estêvão
Valongo do Vouga, Águeda
Castelo de Santo Estevão
Castelo de Santo Estevão
Santo Estêvão, Chaves
Igreja Matriz de Santo Estêvão
Igreja Matriz de Santo Estêvão
Santo Estêvão, Tavira

Século XV

Século XVII


Torre Sineira

Antiga Igreja Matriz
Antiga Igreja Matriz
Vila Pouca de Aguiar
Antiga Matriz de Alcoentre
Antiga Matriz de Alcoentre
Alcoentre, Azambuja
Antigos Paços do Concelho
Antigos Paços do Concelho
Castelo Novo, Fundão