Um documento de 10 de fevereiro de 1102 refere que o mosteiro foi fundado por D. Gomes Echiegues e sua mulher Gontroda, tendo recebido carta de couto de D. Teresa, mãe de D. Afonso Henriques, em 1112.

Exterior do Mosteiro

O Mosteiro de Pombeiro ao longe
O Mosteiro de Pombeiro ao longe
Mosteiro e paisagem envolvente

Implantado num vale com uma paisagem impressionante, este é um dos mais importantes mosteiros beneditinos. A sua primeira referência conhecida é de 1099.

Mosteiro de Pombeiro
Mosteiro de Pombeiro - fachada
 
Mosteiro de Pombeiro - fachada
Mosteiro de Pombeiro - fachada
Fachada e pormenor

Construção

Mosteiro - fachada - rosácea
Rosácea do portal
principal

A sua construção terá sido iniciada no final do século XII e terminada no início do século seguinte, mas foi muito reformulado nos séculos XVII e XVIII.

As torres foram construídas no final do século XVI, início do XVII, após a destruição da galilé que se supõe ter existido, por escavações efectuadas no final do século XX. Esta remodelação da fachada levou a dar mais luz ao interior e foi construído o coro-alto e o órgão.

No início do século XVIII o muro entre as duas torres, com a rosácea, foi deslocado para a frente para ficarem estes três elementos alinhados. Foram também construídos os nichos para as imagens de Nossa Senhora, de São Bento e sua irmã Santa Escolástica.

Portal Principal

Portal - coluna esquerda
Portal esquerda - pormenor
Portal
Portal direita - pormenor
Portal - coluna direita
O portal principal e as colunas

O portal principal é ladeado por cinco colunas cilíndricas de cada lado. Estas são encimadas por capitéis e impostas que suportam as seis arquivoltas circulares, das quais as três mais pequenas são trabalhadas e as restantes lisas. Todos estes elementos mostram uma mão-de-obra de pedreiro com grande qualidade tanto nos elementos vegetalistas dos capitéis e das impostas como dos elementos animais ou vegetais das aduelas.

Podemos observar os animais afrontados ou cabeças de animais com fitas a saírem da boca e elementos florais. O portal é encimado pela rosácea protogótica.

Lateral Exterior

Fachada lateral
Fachada lateral
Lateral exterior da Igreja

Interior da Igreja

A igreja é composta por três naves de três tramos cobertos por arco-diafragma e madeira.

À entrada, por baixo do coro-alto, estão dois sarcógrafos com estátuas jacentes possivelmente do final do século XIII. Notam-se vestígios de pintura mural no portal de acesso ao claustro.

Tendo a capela-mor sido reconstruída em 1770, podemos admirar, nos absidíolos, diversas pinturas, embora em mau estado e por isso dificilmente reconhecíveis. No retábulo-mor vemos a escultura de Santa Maria, orago da igreja, Esta mesma imagem, antes denominada de Santa-Maria-a-Alta, esteve num altar no corpo da igreja, no lado do Evangelho.

Nave Central
Santa Maria Maior
Coro Alto
Órgão do Coro Alto
Sacristia
Fotos do interior da igreja incluídas com a devida autorização de Rota do Românico

Espaço Envolvente

Cruzeiro
Cruzeiro
Edifício
Instalações do mosteiro
Entrada
Entrada
Entrada no recinto
Fonte
Fonte

Compõem o adro da igreja uma fonte e o cruzeiro além das instalações do mosteiro.

Classificação e Rota do Românico

Este monumento está classificado desde 1910 como Monumento Nacional.

O Mosteiro de Santa Maria de Pombeiro faz parte da Rota do Românico, tendo o número 1 no Percurso do Vale do Sousa.

Localização

O Mosteiro situa-se num vale próximo de Pombeiro de Ribavizela a cerca de 4 km a noroeste da sede do concelho, Felgueiras.

Coordenadas GPS: N 41 22.959' W 008 13.541'  (41.38265, -8.22568)
Pombeiro de Ribavizela, publicado em por

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Os Mais Próximos


Cruzeiro de Felgueiras
Pombeiro de Ribavizela, Felgueiras
(219 m N)

Villa romana de Sendim
Sendim, Felgueiras
(4 km E)

Igreja de São Vicente de Sousa
Torrados e Sousa, Felgueiras
(5 km SW)

Igreja Velha de São Cipriano
Tabuadelo, Guimarães
(6 km W)

Conventos e Mosteiros


Santuário de São Torcato
São Torcato, Guimarães

Convento de Santos-o-Novo
Penha de França, Lisboa

Convento dos Franciscanos
São Pedro do Sul

Cruzeiros

Fontes


Fonte da Igreja
Turcifal, Torres Vedras

Fonte do Olival Santo e Lavadouros
Sancheira Grande, Óbidos

Fonte de Mergulho
Sortelha, Sabugal

Fonte e tanque
Pinelo, Vimioso

O Românico na Europa e em Portugal


Igreja Velha de Salto
Salto, Montalegre

Igreja de Tabuado
Tabuado, Marco de Canaveses

Antigos Paços do Concelho
Castelo Novo, Fundão

Percurso do Vale do Sousa


Igreja do Salvador de Unhão
Unhão e Lordelo, Felgueiras

Mosteiro de Paço de Sousa
Paço de Sousa, Penafiel

Igreja de São Mamede de Vila Verde
Vila Verde e Santão, Felgueiras

Rota do Românico

São Bento

Século XII

Os Mais Vistos


Imóvel de Interesse Público

Jardins e Parques Verdes

Nossa Senhora do Carmo

Santa Maria


Convento de Santa Maria de Semide
Semide, Miranda do Corvo

Igreja Matriz de Algodres
Algodres, Figueira de Castelo Rodrigo

Igreja Matriz de Azurara
Azurara, Vila do Conde

São Lourenço


São Sebastião

Século XVI

Século XVIII

Torre Sineira


A nossa Igreja
Freches, Trancoso

Antiga Igreja Matriz
Vila Pouca de Aguiar

Antiga Matriz de Alcoentre
Alcoentre, Azambuja

Recentes