Pelourinho
Pelourinho
Vistas opostas

Com duas nomeações, a aldeia da Galega obteve o seu primeiro foral em 1305, concedido por D. Dinis, com a confirmação outorgada em 1513, e foi a partir deste segundo que o Pelourinho se ergueu. O local escolhido foi a praça principal a que foi dada a mesma designação, em frente da Casa da Rainha e da Igreja da Misericórdia.

Eleva-se sobre um soco de dois degraus circulares, sobre o qual se ergue a coluna e remate. A base é poligonal e talhada no mesmo bloco da primeira parte do fuste. Este é seccionado a meia altura por um anel ornamentado, com molduras salientes ornamentadas. As faixas vegetalistas elevam-se a partir de um pequeno troço, imitando verga entrançada. Sobre o fuste assenta o capitel, semelhante à estrutura e decoração do anel medial, ostentando numa das faces o brasão antigo do concelho. O remate consta uma de uma pinha oitavada encimada por cogulhos de acanto à volta de uma pequena calote, evocando uma coroa fechada.

Entrou para a lista dos Monumentos Nacionais em 1910.

Coordenadas GPS: N 39 04.910' W 009 06.724'  (39.08183, -9.11207)
Aldeia Galega da Merceana, publicado em por

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Recentes