Mosteiro de Santa Maria de Cós
Mosteiro de Santa Maria de Cós
Mosteiro de Santa Maria de Cós

O Mosteiro de Santa Maria de Coz, destinado ao sexo feminino e pertencente à Ordem Cisterciense, foi edificado sob um desejo que incluía uma clausura do testamento do Rei D. Sancho II para receber as mulheres viúvas que levassem uma vida piedosa e estas senhoras seriam acompanhadas pelas suas mordomas. Este desejo foi realizado por D. Fernando, Abade do Mosteiro de Alcobaça, em 1279, sendo as monjas a assegurar o funcionamento da poderosa Abadia de Alcobaça.

Este mosteiro, com a sua importância na região, manteve-se sempre numa posição modesta em número de monjas, revertendo o processo a partir de 1530 quando o mosteiro foi reconhecido pela Ordem de Cister e elevado a Abadia regular. É neste século e no seguinte que o mosteiro sofre remodelações bastantes grandes, em que no século XVI o elemento mais notável é o portal manuelino existente no extremo nascente da igreja, e já no século XVII as obras realizadas resultaram na imponente igreja atual e na modernização do claustros e dormitórios. No início do século XVIII deu-se os acabamentos dos altares em talha dourada, os azulejos e as pinturas, que dotaram a igreja numa decoração barroca.

Mosteiro de Santa Maria de Cós - altar
Mosteiro de Santa Maria de Cós - altar
Mosteiro de Santa Maria de Cós - altar
Mosteiro de Santa Maria de Cós - altar
Mosteiro de Santa Maria de Cós - altar
Mosteiro de Santa Maria de Cós - altar

Contudo, o grande período áureo do mosteiro vai entrar em declínio a partir da catástrofe natural do terramoto de 1755, quando as monjas foram desalojadas e, mais tarde, com a extinção das Ordens Religiosas, com os saques e a ocupação desordenada dos espaços conventuais.

Mosteiro de Santa Maria de Cós - ruínas
Mosteiro de Santa Maria de Cós - ruínas

Atualmente, deste conjunto conventual, as estruturas de apoio ao mosteiro estão distribuídas ao seu redor nos mais diversos espaços como logradouros, eixos viários e, finalmente, como imóveis particulares. Quanto às dependências conventuais, apenas resiste o primeiro troço do corpo arruinado de um dormitório, cujas celas estão distribuídas ao longo de um corredor abobadado em berço, correspondendo à ala perpendicular ao templo virada a sul.

O templo, único elemento deste conjunto que se mantém preservado, apresenta-se sob forma longitudinal, extensivo ao coro das monjas. O portal principal, virado a sul, apresenta-se numa moldura de lintel reto sobrepujado por arquitrave sobre pilastras, encimado por um frontão triangular interrompido por brasão real emoldurado por cartelas de voluta.

Mosteiro de Santa Maria de Cós - altar-mor
Mosteiro de Santa Maria de Cós - clausura
Mosteiro de Santa Maria de Cós - clausura
Mosteiro de Santa Maria de Cós - teto
Mosteiro de Santa Maria de Cós - manuelino

O interior da Igreja apresenta-nos com uma decoração do barroco formado por uma só nave, capela-mor mais elevada, e o coro. O teto da nave, em falsa abóbada de berço com caixotões de madeira pintados, está separado do coro por um grande arco preenchido por grade. A capela-mor é constituída por um único tramo, mais estreita que a nave, inteiramente revestido por lambril e painéis de talha dourada e molduras com telas, revestimento que culmina no retábulo-mor, e cuja tribuna nos apresenta uma escultura representando a Sagrada Família.

Mosteiro de Santa Maria de Cós - altar-mor
Mosteiro de Santa Maria de Cós - altar-mor
Mosteiro de Santa Maria de Cós - pintura
Mosteiro de Santa Maria de Cós - Sagrada Família

O coro apresenta-se revestido por azulejos de padrão azuis e brancos, onde existe um maravilhoso cadeiral, encontrando-se ao centro um portal manuelino em cantaria, em arco polilobado, ornamentado com grotescos motivos vegetalistas e heráldica.

Mosteiro de Santa Maria de Cós - sacristia
Mosteiro de Santa Maria de Cós - sacristia - teto
Mosteiro de Santa Maria de Cós - sacristia - azulejo

A sacristia também se apresenta revestida de painéis de azulejos, figurando episódios da vida de São Bernardo, e com o teto forrado a madeira pintada.

Está classificado como Imóvel de Interesse Público.

Coordenadas GPS: N 39 36.118' W 008 57.354'  (39.60197, -8.95590)

Temas / Tags

Coz, publicado em por

 


Os Mais Próximos


Mosteiro de Santa Maria de Cós
Coz, Alcobaça
(9 m S)

Fonte de Mergulho
Coz, Alcobaça
(388 m SW)

Capela de Santa Rita de Cós
Coz, Alcobaça
(417 m N)

Pelourinho de Alpedriz
Alpedriz, Alcobaça
(3 km N)

Igreja Matriz de Alpedriz
Alpedriz, Alcobaça
(3 km N)

Conventos e Mosteiros

Estilo Barroco

Estilo Manuelino


Igreja do Convento da Madre de Deus
Penha de França, Lisboa

Igreja de São Tiago
Estômbar, Lagoa (Concelho - Faro)

Imóvel de Interesse Público


Santa Maria

Século XIII

Torre Sineira


Capela das Pereiras
Ponte de Lima

Igreja Matriz de Rosmaninhal
Rosmaninhal, Idanha-a-Nova

Igreja Matriz de Vale da Pinta
Vale da Pinta, Cartaxo

Santuário de Nossa Senhora da Peneda
Gavieira, Arcos de Valdevez

Os Mais Vistos


Lapa de Santa Margarida
Portinho da Arrábida, Setúbal

Ermida de Nossa Senhora da Lapa
Soutelo, Vieira do Minho

Ponte das Três Entradas
Ponte das Três Entradas, Oliveira do Hospital

Bibliotecas


Claustro

Estilo Rococó

O Românico na Europa e em Portugal


Antigos Paços do Concelho
Castelo Novo, Fundão

Capela das Almas
Viana do Castelo

Capela de Fandinhães
Paços de Gaiolo, Marco de Canaveses

Pontes Medievais


Ponte Centenária
Arcos de Valdevez

Ponte Medieval
Gafanha da Nazaré, Ílhavo

Ponte Medieval
Cabreiro, Arcos de Valdevez

Santa Margarida de Antioquia


Capela de Santa Margarida
Vila do Caramulo, Tondela

Lapa de Santa Margarida
Portinho da Arrábida, Setúbal

Santo André


Igreja Matriz de Algosinho
Algosinho, Mogadouro

Igreja Matriz de Macinhata de Seixa
Macinhata da Seixa, Oliveira de Azeméis

Igreja Matriz de Poiares
Vila Nova de Poiares

Igreja Matriz de Santo André
Barcelinhos, Barcelos

Século XV

Século XVI

Século XVIII