Castelo de Arraiolos
Castelo de Arraiolos

Na colina do castelo ergue-se este monumental Paço dos Alcaides, assim igualmente conhecido, em que a sua edificação teve início nos princípios do século XIV por D. Dinis, sendo João Simão o arquiteto do projeto. Contudo este projeto remonta ao tempo da Reconquista, quando D. Sancho II doa a herdade de Arroiolos ao primeiro Bispo de Évora D. Soeiro, sendo já referida uma autorização régia para a construção de um castelo.

Castelo - interior
Castelo - interior e porta de Santarém

A Reconquista daquela parte do território contribuiu muito para um reverso da fraca densidade populacional existente naquela zona, o que nos finais do século XIII e inícios do XIV viria a justificar o investimento régio do Paço e a fortificação envolvente.

A importância da confirmação de um foral em 1310 também foi a ajuda necessária para a confirmação deste castelo que começara a erguer-se sobre construções existentes com um maior ou menor aproveitamento de um castro proto-histórico, segundo vestígios arqueológicos existentes.

Castelo - porta da vila
Castelo - porta de Santarém
Castelo - torre do relógio

O castelo ergue-se de uma forma curiosa, desenvolvendo-se pelas encostas suaves acompanhando precisamente as curvas do desnível do terreno, podendo assim ter uma melhor visão de toda a vizinhança.

Somente rasgada por duas portas, conhecidas como a Barbacã que se orienta a sul e para o casario que se desenvolveu ultra muras, e a de Santarém que se desenvolve para noroeste, precisamente para a cidade com o mesmo nome. A Barbacã estava ladeada pelas Torres de Menagem e do Relógio.

Castelo - Paço
Castelo - torre de menagem
Castelo - paço - interior
Castelo - paço - interior

A Torre de Menagem constitui com o Paço a residência oficial dos Alcaides, destacando-se como anexo principal. De planta quadrada, apresenta ainda vestígios reconhecíveis de que teve quatro pisos de origem, com a parte nobre da casa a compreender o Paço, restando apenas as paredes exteriores rematadas nos ângulos por torres.

A partir do século XIV foi o início do fim do castelo. Durante este século, D. Fernando proibiu os moradores de fora da cerca de ter acesso à igreja que se encontrava no interior. Esta ordem foi uma primeira tentativa para manter o povoamento no interior da cerca, que cada vez mais se tornava impossível, agravando a situação com a ocupação das tropas castelhanas no ano de 1384.

Numa segunda tentativa em 1387, D. João I doou o castelo ao Condestável D. Nuno Álvares Pereira, segundo Conde de Arraiolos, que aqui chegou a habitar e consequentemente fez obras na fortificação e introduziu novas instalações no Paço.

Nos finais do século XVI o castelo ainda era habitado, restando apenas pouco mais tempo, sendo que em 1613 a câmara local já denunciava a ruína do conjunto.

Este panorama viria a degradar-se mais com a chegada das Guerras da Restauração, chegando a resistir a algumas obras feitas por D. João IV. Em meados do séc. XVII a barbacã já estava em ruína, o Paço e a Torre de Menagem também já estavam inabitáveis. Tudo isto veio ainda agravar mais a situação quando aí se sentiu o terramoto de 1755, acrescentando à destruição.

Apesar destas ocorrências de destruição, o castelo em 1910 foi agraciado como Monumento Nacional.

Coordenadas GPS: N 38 43.508' W 007 59.244'  (38.72513, -7.98740)
Arraiolos, publicado em por

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Os Mais Próximos


Igreja do Salvador
Arraiolos
(106 m NW)

Capela dos Passos de Cristo
Arraiolos
(126 m S)

Igreja Matriz de Arraiolos
Arraiolos
(229 m S)

Castelos

Monumento Nacional

Portas da Cidade ou do Castelo

Século XIV


Ponte Românica de Vilar de Mouros
Vilar de Mouros, Caminha

Muralhas
Sortelha, Sabugal

Torre de Menagem ou de Vigia

Os Mais Vistos

Castelo de Castelo Novo
Lapa de Santa Margarida
Portinho da Arrábida, Setúbal
Castelo de Castelo Novo
Ermida de Nossa Senhora da Lapa
Soutelo, Vieira do Minho
Castelo de Castelo Novo
Ponte das Três Entradas
Ponte das Três Entradas, Oliveira do Hospital

Estilo Barroco

Fontes


Alminhas
Sabuzedo, Montalegre

Chafariz D. João V
Alpedrinha, Fundão

Imóvel de Interesse Público


Marinas


Albufeira da Caniçada
Rio Caldo, Terras de Bouro

Marina de Montargil
Montargil, Ponte de Sor

Marina e Praia Fluvial
Valada, Cartaxo

São João Batista

São Tiago


Capela de São Tiago
Barbeita, Monção

Cruzeiro de Santiago
Alcoentre, Azambuja

Século XII

Século XIX


Torre Sineira


A nossa Igreja
Freches, Trancoso

Antiga Igreja Matriz
Vila Pouca de Aguiar

Antiga Matriz de Alcoentre
Alcoentre, Azambuja

Recentes