Paços do Concelho

No centro histórico, nomeadamente na Praça José Falcão, levanta-se o edifício máximo que representa anos e anos de história. A região mostra sinais que remontam ao período da pré-história, com vestígios em necrópoles de sepulturas existentes no Alto do Calvário.

A história desta vila e o seu desenvolvimento continuam com a edificação de uma fortaleza do séc. X, que serviu de base para vigiar e defender duas importantes caminhos romanos que faziam as ligações entre Tomar e Coimbra e do interior da península ao ocidente.

Paços do Concelho

Em 1116, o castelo terá sido destruído por uma expedição almorávida, provocando um grande número de mortes e prisioneiros, desconhecendo-se o ano de reconstrução. No ano de 1136, a vila recebeu o primeiro foral das mãos de D. Afonso Henriques, com a confirmação por D. Afonso II. O castelo seria referenciado em 1383 quando João Afonso Teles abriu as portas para receber D. João I de Castela, quando este seguia para Lisboa para contestar o Mestre de Avis.

Contudo a construção foi-se arruinando com o decorrer dos tempos e, em 1799, deu-se conta de que um aluimento acabara com o que restava do castelo, acabando as pedras a servir para construções próprias e renovação de pontes. Novamente o concelho e a vila foram palcos, recebendo todo o protagonismo, quando por aqui passou a terceira Invasão Francesa, devido à sua localização, permitindo uma linha estratégica de movimentação dos exércitos.

Paços do Concelho

Muita história passou por esta vila, dando-lhe uma contribuição importante no desenvolvimento e na afixação populacional, segundo o registo dos censos. Em 1864 dava conta de 10.453 habitantes e atualmente está com uma população de cerca de 14.000 habitantes.

Edifício de planta retangular, de dois pisos e três panos. O pano central é formado por duas portas idênticas a abranger o piso térreo, de moldura em arco perfeito, encimado por uma pequena sacada de guarda em pedra a abrangendo duas janelas em moldura retangular. É finalizada por um brasão em relevo com a esfera armilar. Nos dois panos e no restante edifício, as aberturas nos dois pisos são em moldura reta.

Coordenadas GPS: N 40 05.577' W 008 19.971'  (40.09295, -8.33285)

Temas / Tags

Miranda do Corvo, publicado em por

 


Os Mais Próximos


Pelourinho de Miranda do Corvo
Miranda do Corvo
(11 m SW)

Capela de Nossa Senhora da Boa Morte
Miranda do Corvo
(123 m NW)

Capela de São Sebastião
Miranda do Corvo
(135 m S)

Igreja Matriz de Miranda do Corvo
Miranda do Corvo
(178 m W)

Castelo de Miranda do Corvo
Miranda do Corvo
(263 m W)

Câmara Municipal

Os Mais Vistos


Lapa de Santa Margarida
Portinho da Arrábida, Setúbal

Ermida de Nossa Senhora da Lapa
Soutelo, Vieira do Minho

Igreja de S. Simão
Vila Fresca de Azeitão, Setúbal

Ponte das Três Entradas
Ponte das Três Entradas, Oliveira do Hospital

Estilo Barroco

Estilo Gótico


Estilo Manuelino

Estilo Rococó

Fortes e fortalezas

Palácios

Pontes Modernas


Antiga ponte da linha férrea
Jerusalém do Romeu, Mirandela

Pilares da Ponte Pênsil
São Nicolau, Porto

Santo Estêvão

Século XVII