Origem

Vista Geral
Vista geral da Aldeia

Por qualquer razão desconhecida, ou talvez por um mero jogo de palavras da língua portuguesa, por ironia da palavra vem ditar o nome de Pena à pequena localidade. Localidade que remonta ao período do neolítico ou de bronze, com testemunhos de vestígios arqueológicos da zona.

Contudo só mais tarde, no século XVI, nomeadamente em 1527, é que Pena deu sinais de existência quando entrou para o cadastro da população do reino, nos termos da vila de Góis, contando apenas cinco habitantes.

Aldeia de Xisto

Uma das quatro aldeias de xisto do Concelho de Góis, eleva-se num encarpado a partir de uma das margens da ribeira com o mesmo nome, abrigando-se junto aos penedos de Góis.

Uma localização que nos conduz a um verdadeiro recuar do tempo, perdendo-se no tempo e na natureza, com o encantamento da pequena ribeira que a seus pés passa.

Pena, publicado em por

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Os Mais Vistos


Lapa de Santa Margarida
Portinho da Arrábida, Setúbal

Ermida de Nossa Senhora da Lapa
Soutelo, Vieira do Minho

Ponte das Três Entradas
Ponte das Três Entradas, Oliveira do Hospital

Câmara Municipal

Estilo Gótico

Estilo Maneirista

Fontes


Alminhas
Sabuzedo, Montalegre

Casa da Água
Cabo Espichel, Sesimbra

Igreja Matriz


A Igreja Matriz, a Albergaria
Arrifana, Vila Nova de Poiares

Antiga Igreja Matriz
Vila Pouca de Aguiar

Capela da Senhora da Soledade
Olhão da Restauração, Olhão

Imóvel de Interesse Público

Rota do Românico


Capela de Fandinhães
Paços de Gaiolo, Marco de Canaveses

Castelo de Arnóia
Arnóia, Celorico de Basto

São Paio

Século XVIII


Torre Sineira


A nossa Igreja
Freches, Trancoso

Antiga Igreja Matriz
Vila Pouca de Aguiar

Antiga Matriz de Alcoentre
Alcoentre, Azambuja

Recentes