Alminhas
Alminhas

Erguidas em encruzilhadas, à beira de caminhos e em locais estratégicos, é muito frequente encontrar padrões de culto como as Alminhas.

Construídas por alma de falecidos, por ocorrência de acidentes ou sustos naqueles locais, serviam de pequenos altares. Ali se deixava uma oração de fé, manifesto de saudade ou perda de alguém. Eram também frequentemente visitadas por raparigas que paravam para rezar para que os santos lhes arranjassem marido.

Existem sob a forma de pequenos nichos, em pedra, madeira ou revestidas a azulejos, algumas estimadas outras praticamente abandonadas, tendo a maior parte uma idade que se perdeu na memória colectiva.

Candosa, publicado em por

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Os Mais Vistos


Lapa de Santa Margarida
Portinho da Arrábida, Setúbal

Ermida de Nossa Senhora da Lapa
Soutelo, Vieira do Minho

Ponte das Três Entradas
Ponte das Três Entradas, Oliveira do Hospital

Fontes


Alminhas
Sabuzedo, Montalegre

Chafariz D. João V
Alpedrinha, Fundão

Monumento Nacional


Anta da Agualva
Agualva-Cacém, Sintra

Anta da Barrosa
Vila Praia de Âncora, Caminha

Anta de Santa Marta
Santa Marta, Penafiel

Quintas

Santo Antão


Capela de Santo Antão
Santo Antão, Tábua

Capela de Santo Antão
Vila Nova de São Pedro, Azambuja

Hospital de São José
Arroios, Lisboa

Igreja Matriz de Vilarinho de Agrochão
Vilarinho de Agrochão, Macedo de Cavaleiros

Século XIII

Século XIV

Século XVI

Século XVIII

Torre Sineira


A nossa Igreja
Freches, Trancoso

Antiga Igreja Matriz
Vila Pouca de Aguiar

Antiga Matriz de Alcoentre
Alcoentre, Azambuja

Recentes