Depois de fundada a Irmandade da Misericórdia em 1513, estes tiveram permissão do Arcebispo D. Diogo de Sousa para instalar o templo numa das capelas dos claustros da Sé, mas depressa esta se mostrou pequena.

Construção

Igreja da Misericórdia
Igreja da Misericórdia

Depois de fundada a Irmandade da Misericórdia em 1513, estes tiveram permissão do Arcebispo D. Diogo de Sousa para instalar o templo numa das capelas dos claustros da Sé. Depressa se tornou pequena, levantando a hipótese da Irmandade construir uma de raiz.

Assim aconteceu, tendo-se iniciado a edificação em 1560, junto à Sé Catedral. Segundo uma inscrição no portal principal, terminou em 1562, ano possivelmente relativo à fachada.

Melhoramentos

Nos anos seguintes o interior veio a sofrer consequências de melhoramentos como a edificação dos diversos retábulos, a pintura de um destes e também no teto do coro baixo.

O século XVII acabou por ser o da transformação do interior, no âmbito da remodelação, decoração, restauro e ampliação dos seus espaços.

Os pilares e retábulos eram consertados e pintados em dourados, a casa do despacho edificada, a cobertura do teto arranjada com a execução de caixotões e a colocação de painéis de azulejos.

No final deste mesmo século foram executados o retábulo central e os colaterais. No século seguinte as obras ali decorridas limitavam-se a pequenos melhoramentos como a execução de novos retábulos em talha.

Estrutura

Igreja da Misericórdia
Igreja da Misericórdia
Igreja da Misericórdia

A planta desenvolve-se num L, na combinação do templo e Casa do Despacho, em que a igreja apresenta uma planta retangular, e edificadas em cantaria de granito.

Fachada Principal

A fachada principal, que se orienta para a rua do Souto, é rematada por um frontão triangular em que a entrada serve uma linguagem de altar-rétabulo.

O portal em arco de volta perfeita é acessível por um soco de escadaria de onze degraus ladeados por duas colunas de cada lado que enquadram imagens da Rainha Santa Isabel de um lado e de São Luís do outro. O portal é encimado pela pedra de armas do Arcebispo D. Gaspar de Bragança.

Segue-se um friso decorado por medalhões e coroado por conchas entre fogaréus. Remata com duas colunas coríntias, decorada com dois pares de bustos em medalhão.

Fachada Lateral

A fachada lateral, orientada a nascente, apresenta dois janelões em arco de volta perfeita e o portal em moldura reta ladeado por duas colunas compósitas. Estas sustentam o entablamento sobre modilhões, coroado por uma edícula enquadrada por duas colunas compósitas.

A edícula é rematada por dupla cornija e sobrepujada por motivos zoomórficos, albergando duas imagens representando Nossa Senhora na visita à sua prima Santa Isabel. Estas estão ladeadas por outras imagens de São José e São Zacarias.

Interior

No interior a nave é coberta por abóbada de madeira decorada por caixotões. O coro-alto em madeira destaca-se ao centro pelo semi-circulo com guarda balaustrada de madeira.

Localização

Coordenadas GPS: N 41 33.031' W 008 25.622'  (41.55052, -8.42703)

Referências

Temas / Tags

Braga, publicado em por

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar


Os Mais Próximos


Pelourinho de Braga
Braga
(33 m SE)

Paço Episcopal
Braga
(61 m N)

Casa dos Paivas
Braga
(73 m SE)

Sé Catedral de Braga
Braga
(79 m SW)

Igreja e Hospital da Misericórdia

Século XVI

Órgão de Tubos

Os Mais Vistos


Lapa de Santa Margarida
Portinho da Arrábida, Setúbal

Ermida de Nossa Senhora da Lapa
Soutelo, Vieira do Minho

Ponte das Três Entradas
Ponte das Três Entradas, Oliveira do Hospital

Conventos e Mosteiros

Fortes e fortalezas

Imóvel de Interesse Municipal

Imóvel de Interesse Público

Menires


Cromeleque do Xarez
Telheiro, Reguengos de Monsaraz

Menir da Abelhoa
Telheiro, Reguengos de Monsaraz

Menir da Meada
Póvoa e Meadas, Castelo de Vide

Palácios

São Sebastião

Século XV

Século XVIII