Capela de Vista Alegre
Capela de Vista Alegre

Conhecida como a Capela da Vista Alegre, uma vez que este templo religioso está situado no complexo da fábrica, é de referir que o corpo central deste templo remonta a um tempo muito mais antigo. Por isso é de direito que a capela seja individualizada do resto que a circunda, mesmo com a edificação das duas torres sineiras.

Dedicada a Nossa Senhora da Penha, foi edificada entre os séculos XVII e princípios do XVII (1632-1706) pelo Bispo de Miranda, D. Manuel de Moura Manuel, na sua quinta em Ílhavo. Devendo ficar pronta para receber os restos mortais do bispo, assim não aconteceu pois este morreu em 1699, vindo só simplesmente a ser trasladado em 1706, ano em que ficou pronta.

De caraterísticas maneiristas, apresenta na sua fachada principal elementos barrocos e proto-barrocos. Constituída de uma planta longitudinal, é formada por um nave e capela-mor, sendo-lhe anexadas no séc. XIX duas torres sineiras enquadrando com o pano central. Este pano é rasgado pelo portal central de verga reta encimado por um nicho de colunas torsas com a imagem da Nossa Senhora da Penha e o Menino. Este conjunto está ladeado por duas janelas retangulares ao nível da porta e outras duas janelas mais pequenas ao nível do nicho. Separadas por um friso, termina por um frontão triangular de decoração ritmada com óculo central e uma cruz.

As torres sineiras apresentam quatro janelas pequenas e quadradas, continuando com o friso do pano central a separar as quatro aberturas em arcos de volta perfeita e das quais as duas do pano central possuem sineiras. É finalizado por coberturas bulbólicas, sendo ladeadas por quatro pináculos.

Esta capela entrou na lista dos classificados como Monumento Nacional desde 1910.

Coordenadas GPS: N 40 35.345' W 008 41.036'  (40.58908, -8.68393)

Temas / Tags

Ílhavo, publicado em por

 


Os Mais Próximos

Vista Alegre
Vista Alegre
Ílhavo
(16 m E)
Solar dos Maias
Solar dos Maias
Ílhavo
(2 km NE)

Monumento Nacional

Nossa Senhora da Penha de França

Século XVII

Torre Sineira

Igreja Matriz de Vilarinho de Agrochão
Igreja Matriz de Vilarinho de Agrochão
Vilarinho de Agrochão, Macedo de Cavaleiros
Igreja Matiz de Fajão
Igreja Matriz de Fajão
Fajão, Pampilhosa da Serra
Igreja Matriz de Jafafe de Cima
Igreja Matriz de Jafafe de Cima
Macinhata do Vouga, Águeda

Os Mais Vistos

Lapa de Santa Margarida
Lapa de Santa Margarida
Azeitão, Setúbal
Ermida de Nossa Senhora da Lapa
Ermida de Nossa Senhora da Lapa
Soutelo, Vieira do Minho
Igreja de S. Simão
Igreja de S. Simão
Azeitão, Setúbal
Ponte das Três Entradas
Ponte das Três Entradas
Ponte das Três Entradas, Oliveira do Hospital

Estilo Barroco

Imóvel de Interesse Público

Quintas

Casa das Gaeiras
Casa das Gaeiras
Gaeiras, Óbidos
Quinta Cheiraventos
Quinta Cheiraventos
Amora, Seixal
Quinta da Bacalhôa
Quinta da Bacalhôa
Azeitão, Setúbal

Santa Eulália

Capela de Santa Eulália
Capela de Santa Eulália
São Julião de Palácios e Deilão, Bragança
Igreja Matriz de Aguada de Cima
Igreja Matriz de Aguada de Cima
Aguada de Cima, Águeda
Igreja Matriz de Couto de Baixo
Igreja Matriz de Couto de Baixo
Couto de Baixo, Viseu
Igreja Matriz de Genísio
Igreja Matriz de Genísio
Genísio, Miranda do Douro
Igreja Matriz de Gondoriz
Igreja Matriz de Gondoriz
Gondoriz, Arcos de Valdevez

Senhor Jesus

Alto do Senhor da Boa Morte
Alto do Senhor da Boa Morte
Vila Franca de Xira
Basílica da Estrela
Basílica da Estrela
Estrela, Lisboa
Bom Jesus das Mós
Bom Jesus das Mós
Carvalheira, Terras de Bouro
Capela Corpo de Deus
Capela Corpo de Deus
Pindelo, Oliveira de Azeméis

São Nicolau

Igreja de S. Nicolau
Igreja de S. Nicolau
São Nicolau, Marco de Canaveses
Igreja de S. Nicolau
Igreja de S. Nicolau
São Nicolau, Porto

Século I d.C.

Castelo de Castro Laboreiro
Castelo de Castro Laboreiro
Castro Laboreiro, Melgaço
Castro do Monte Mozinho
Castro do Monte Mozinho
Galegos, Penafiel
Marco Miliário XII
Marco Miliário XII
Oliveira de Azeméis
Museu de Lisboa - Teatro Romano
Museu de Lisboa - Teatro Romano
Santa Maria Maior, Lisboa

Século XV

Século XVI


Século XVIII