Século XVI

O Século XVI marcou o desenvolvimento da civilização ocidental. Portugal fez a maior exploração dos oceanos e das regiões asiáticas e africanas e deu a conhecer o Novo Mundo. Criaram-se as colónias portuguesas e espanholas e abriu-se o comércio marítimo através do Oceano Pacífico e do Índico. Nas artes assiste-se ao desenvolvimento do estilo maneirista e principalmente do estilo manuelino, com exemplos representativos em muitos monumentos portugueses.

  • Edificada no séc. XVI, o nome desta capela deve-se ao Arcebispo de Braga que, ao passar por ali, adoeceu e acabou por morrer.
  • Edifício do início do século XVI, esta capela tem uma planta centralizada e de estrutura octogonal rematado por uma cúpula renascentista.
  • Uma pequena capela possivelmente do século XVI, é composta por uma só nave com a capela-mor separada por arco cruzeiro.
  • Esta capela é um marco histórico porque foi aqui o ponto de encontro das tropas de D. João I e Nuno Álvares Pereira para a Batalha de Aljubarrota.
  • A capela e o nome de São Luís provém do Seminário e do Colégio São Luís, anexo ao primitivo Paço Episcopal. Datada de 1600 segundo a intenção do Bispo D. Luís de Figueiredo de Lemos.
  • Capela do séc. XVI, decorria o ano de 1565, tendo sido reconstruída no séc XIX. Em 1983 sofreu uma profunda remodelação.
  • A Capela de São Pedro, situada em Ervidel, é uma capela de planta centralizada sobreposta de uma cúpula. Construída no século XVI, teve obras de conservação em 1980. A torre sineira está adossada à...
  • Situada no cimo da aldeia, o nome de São Pedro à Capela deve-se possivelmente ao lugar onde os animais vinham pastar, conhecido como Serra de São Pedro de Açôr.
  • A Capela de São Pedro, no lugar de Lamaceiros, foi fundada no século XVI. Pelo terramoto de 1748 ficou bastante danificada, mas foi restaurada em pouco tempo. Ao longo dos séculos sofreu diversas...
  • Crê-se que esta capela foi construída entre os séculos XVI e XVII. De estilo barroco, tem a sua planta retangular simples, com um telhado de duas águas e um frontispício rematado por um campanário.
  • Situada no centro do largo com a mesma denominação, este pequeno templo religioso do início do século XVI faz parte do conjunto do Paço do Lumiar.
  • Considerada o templo religioso mais antigo da freguesia, pertence aos finais do séc. XVI. De planta retangular, apresenta uma fachada com portal de arco de volta perfeita.
  • Uma das muitas capelas que a vila de Sardoal possui e a única que até ao séc. XX se registava como pública.
  • Uma capela situada no caminho de Santiago de Compostela, sendo por isso uma capela devocional, foi a ideia dos senhores locais chamados Álvaro Afonso e sua mulher Gimanesa Pereira.
  • Uma pequena capela do século XVI, teve obras no século XIX. O portal em arco de volta perfeita é antecedido por um alpendre.
  • Com uma resenha histórica quase inexistente no património da vila, tudo indica que começou por ser uma ermida de seu nome Nossa Senhora da Assunção.
  • Esta capela é dos poucos testemunhos do antigo município desta aldeia. Acredita-se que tenha pertencido à quinta em frente, a qual já existiria no século XVI.
  • Uma capela do século XVI, possivelmente de 1530, teve uma reconstrução em 1578, conforme a data no arco da frontaria.
  • Edificada no início do século XVI, desta capela só resta o portal manuelino. De uma planta simples, é formada por uma só nave retangular.
  • Este pequeno templo religioso, que tem como única referência a data de 1567, foi mandado construir pelo padre da freguesia de então, Baltasar Carneiro.