Pelourinhos

Um Pelourinho é uma coluna de pedra colocada num local público de uma cidade ou vila, tradicionalmente em frente da Câmara Municipal ou de outros organismos oficiais, onde eram punidos e expostos os criminosos ou delinquentes para a vergonha pública. Os presos eram amarrados às argolas desses pelourinhos e açoutados ou mutilados. Sendo considerados como o padrão ou o símbolo da liberdade municipal, eram erigidos após a elevação de uma localidade a sede de concelho.

  • O Pelourinho da Ega em estilo manuelino é composto pela base octogonal com dois degraus à vista, a coluna lisa também octogonal de arestas chanfradas.
  • Pelourinho datado do século XVI, sendo este uma réplica do original, apareceu em Elvas sinónimo de autoridade e exposição.
  • Pelourinho de Esgueira, símbolo de autonomia e autoridade municipal, crê-se que o atual, datado do século XVIII, veio substituir um outro mais antigo.
  • Esta povoação só viria a subir de estatuto à categoria de vila, e consequentemente sede de concelho, em 1572 por Carta Régia de D. Sebastião. Perante tal atributo foi construído o edifício dos Paços...
  • Aqui temos um estilo de pelourinho um pouco diferenciado dos habituais, confundindo um pouco com os cruzeiros. Está situado num pequeno largo existente ao lado da Junta de Freguesia.
  • Folgosinho recebeu sucessivas cartas de foral de D. Sancho I, D. Afonso II, D. Dinis e finalmente o foral novo de D. Manuel I em 1512, que levou à construção do respetivo pelourinho.
  • Houve uma primeira referência a Fávregues como concelho em 1128, por D. Teresa. D. Manuel I outorgou foral a Frágoas em 1514 quando possivelmente foi erguido o pelourinho. Foi concelho até 1895 e de...
  • Estrutura em cantaria de granito, composta por um soco circular de quatro degraus de aresta viva, encontrando-se o primeiro semienterrado no solo.
  • Um fuste assente sobre uma base quadrada de três degraus, é dividido a meio por dois anéis sendo a parte inferior octogonal lisa e a superior uma coluna torcida. O capitel é duplo, decorado com...
  • O Pelourinho de Frossos é composto pelo fruste de secção quadrada sobre três degraus quadrados. Datado de 1664, o capitel dórico mostra as armas de Portugal.
  • Datado do século XVI, o Pelourinho assenta em três degraus de forma circular com arestas, já muito corroídos pelo tempo.
  • Constituído por um fuste oitavado, delgado, assenta sobre uma plataforma de três degraus circulares e é coroado por capitel redondo decorado com elementos típicos do reinado de D. Manuel.
  • O pelourinho está situado junto a outro elemento igualmente importante de então, e igualmente mal tratado e ao abandono, que foi a antiga Casa da Câmara.
  • O pelourinho nesta vila cedo veio confirmar a autonomia desta povoação, tornando-se sede de concelho a partir de 1225, sendo atribuído o foral pelo Rei D. Sancho II.
  • A Casa do Paço é responsável pelo Pelourinho, entregue de uma maneira diferenciado de todos os outros quando, em 1793, a monarca de então D. Maria I entrega o senhorio de Lanheses em troca do de...
  • Larim, ou o seu topónimo Lalim, foi referido pela primeira vez em 959 quando a Condessa Mumadona doa o seu território ao Mosteiro de Guimarães. Recebeu o foral em 1514, por D. Manuel I.
  • Datado do séc. XVI, está numa plataforma com quatro degraus onde assenta uma coluna com uma base quadrangular, com arestas chanfradas, sendo o remate do tipo de gaiola.
  • O Pelourinho de Lisboa foi construído depois do terramoto de 1755, em ferro, mármore e cantaria para substituir o anterior que ficou destruído com o terramoto.
  • No topo do fuste o remate é composto por bloco prismático alto onde se adossa um grande escudo régio coroado, como coroa aberta, terminando em bico.
  • Coordenadas GPS: N 41 14.493' W 008 20.098'