Pelourinho

Um Pelourinho é uma coluna de pedra colocada num local público de uma cidade ou vila, tradicionalmente em frente da Câmara Municipal ou de outros organismos oficiais, onde eram punidos e expostos os criminosos ou delinquentes para a vergonha pública. Os presos eram amarrados às argolas desses pelourinhos e açoutados ou mutilados. Sendo considerados como o padrão ou o símbolo da liberdade municipal, eram erigidos após a elevação de uma localidade a sede de concelho.

  • O Pelourinho de Avis, classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1933, é constituído por um fuste quadrangular sobre uma base, sendo rematado pelo simbolo da vila, uma águia de asas abertas.
  • A antiguidade e a localização da aldeia de Avô permitiu que esta cedo fosse estabelecida como couto, antes da nacionalidade, mantendo-se assim com os mesmos privilégios até 1885.
  • Com dois forais atribuídos, Azambuja tem o seu primeiro no ano de 1272 conseguindo o segundo só em 1513.
  • Azinhoso com a categoria de vila e sede de concelho recebeu o segundo foral de D. Manuel, em 1520, do qual se levantou o Pelourinho.
  • Com as passagens do rei D. Manuel I a caminho de Santiago de Compostela, o pelourinho surgiu com a Igreja Matriz, estando situado na parte lateral da igreja.
  • Barcelos recebeu o primeiro foral com D. Afonso Henriques. Foi renovado de D. Manuel I, simbolizado pela construção do Pelourinho em 1515, um dos mais emblemáticos do reinado.
  • Um monumento de 1521, erguido no reinado de D. Manuel foi desmantelado desaparecendo vários elementos, mantendo alguns outros elementos como o capitel, o remate e parte do fuste.
  • Pelourinho quatrocentista, ergue-se sobre uma base moderna constituída por três degraus octogonais.
  • Bemposta desde muito cedo teve um papel de grande relevância entre 1315 e 1836, quando teve e categoria de vila, tornando-se assim concelho.
  • O Pelourinho da freguesia de Bertiandos está situado no terreiro do Solar com o mesmo nome. Pertence a dois períodos distintos, ao romano e à centúria seiscentista.
  • Um pelourinho bastante atribulado tanto na sua localização com as várias deslocações sofridas, como na sua estrutura.
  • D. Sancho I privilegia a povoação concedendo-lhe o foral no ano de 1187, seguindo-lhe um segundo foral, desta vez concedido por D. Manuel em 1514, com a construção do Pelourinho.
  • O Pelourinho de Buarcos, igualmente conhecido como o Pelourinho de Baixo, obteve dois forais em que o primeiro foi atribuído em 1342.
  • A freguesia do Burgo teve o seu momento alto entre 1363 e 1817 quando chegou a ser vila e consequentemente sede de concelho, tendo como nome Vila Meã do Burgo.
  • Um pelourinho com o fuste assente sobre uma base e dois degraus, todos secção quadrada, e sobre o qual assenta o volume também quadrangular, classificado como IIP desde 1933.
  • Pertencente ao séc. XVIII, provavelmente após 1732. É construído de mármore, sendo formado de uma base de quatro degraus com uma coluna.
  • Situado no largo com o nome de Sabugosa, o pelourinho ergue-se sobre um soco de três degraus quadrados de aresta, em granito, sobre uma plataforma talhada na mesma pedra.