Palácios

Em Portugal existem palácios por toda a parte, que foram construídos destinados à habitação das famílias reais, dos nobres, dos chefes de estado ou do clero. O seu uso atual na maior parte dos casos mudou para hospitais, museus ou hotéis.

  • Este edifício é a casa-mãe de um complexo formado por outro palácio, anexos, jardins e terrenos anexos, totalizando uma área de onze hectares.
  • Teve a sua construção no final do século XVIII para substituir o anterior Paço Real, denominado de Real Barraca dada a sua construção de madeira.
  • O Palácio de Belém, atualmente a residência Oficial do Presidente da República, foi construído em 1559 por D. Manuel de Portugal.
  • Dez anos foi o tempo suficiente para edificar o Palacete, no século XVIII (1730 a 1740). É dotado de capela, em cujo teto mandou pintar as suas armas.
  • Também denominado de Palácio dos Carvalhos, o Palácio Pombal foi mandado edificar na 1ª metade do século XVII pelo avô do futuro Marquês de Pombal.
  • Também denominado de Palácio Real de D. João V ou Palácio das Passagens, é um palácio barroco de construção no século XVIII.
  • A Quinta das Torres é uma quinta do século XVI que inclui um palácio, considerados um dos mais belos conjuntos arquitetónicos renascentistas de Portugal.
  • Esta quinta, que integra o Paço do Lumiar, foi provavelmente construída no início do século XVII, reconstruída no século seguinte e com alterações no século XIX.
  • Situada nas traseiras da Sé, a intenção de construir o Paço Episcopal foi em 1601, tendo as obras começado em 1616.
  • Este edifício foi mandado edificar por Amadeu Ferreira de Sousa Vilar, vindo posteriormente a pertencer a um industrial e proprietário de fábrica de tecidos Sá.