Monumento Nacional

Monumento Nacional ou de Interesse Nacional é considerado quando representa um valor cultural com significado para o País. Esta designação é atribuída aos bens imóveis classificados como de interesse nacional, sejam eles monumentos, conjuntos ou locais.

  • A Igreja S. João Batista, a Matriz de Tomar, remonta ao séc. XV, ao tempo do Infante D. Henrique, estando referenciada como ponto da reunião.
  • Esta igreja foi edificada logo a seguir à conquista Cristã, em 1229, sobre parte da muralha islâmica, a qual foi aproveitada para implantar nela a torre sineira.
  • Reza a história que este nome, S. Pedro de Rates, surgiu quando um judeu foi maltratado neste lugar pelos romanos da era de Nero.
  • A sua fundação deu-se em 1070, sendo atribuído a D. Toure Serrão, apesar de o primeiro documento referente a uma permuta de propriedade referir o ano de 1096.
  • Foi edificada pelos religiosos de São Paulo da Serra de Ossa, sob o nome de Igreja do Santíssimo Sacramento, adossada ao Convento dos Paulistas.
  • Deste conjunto conventual só a igreja se manteve até agora, sendo considerado como o maior templo gótico do núcleo escalabitano.
  • Todo o historial da fundação desta igreja está ligado ao convento, tendo com o decorrer dos tempos passado para plano secundário.
  • Este templo religioso, edificado em 1457, faz parte da zona histórica, e está priviligiado por estar ao lado do maior e mais visível pano das Muralhas Fernandinas.
  • A Igreja de Santa Engrácia foi erigida em 1568 para receber o relicário da virgem mártir Engrácia de Saragoça.
  • A freguesia de Arnoso apresenta este testemunho arqueológico, um belo exemplar do estilo românico, uma construção do século XII.
  • Com diversas designações, a Igreja de Santa Maria da Graça foi considerada como o último grande monumento gótico monacal que Santarém atualmente conserva.
  • Neste local da Igreja, a única certeza de que há memória sobre esta edificação religiosa é que, em 1152, D. Mafalda mulher de D. Afonso Henriques patrocinou a construção de um Mosteiro.
  • Construído próximo da necrópole árabe Macab (daí o nome derivar em Almacave), este templo é uma construção românica do séc. XIII.
  • A Igreja de Almoster é o único elemento que resta, com algumas ruínas do claustro que resistem, do que foi o Convento Gótico de Santa Maria de Almoster.
  • Igreja do mosteiro da Ordem de Cister, foi construída na primeira metade do século XIII e reformada nos séculos XVII e XVIII na fachada e no interior das naves.
  • Esta é conhecida como a Antiga Igreja Matriz da Lourinhã, havendo divergências quanto à sua cronologia. Crê-se que o templo tenha sido edificado entre 1384 e 1397.
  • A igreja tem o nome de Santa Maria porque está situada na freguesia com o mesmo nome. Também é a Igreja Matriz da cidade.
  • É considerada como um dos mais importantes templos da região de Lisboa e igualmente um dos que simbolizam a progressão e organização dos territórios conquistados após 1147.
  • Este templo religioso situa-se no interior desta fortaleza, muito próximo do Palácio dos Condes de Abrantes.
  • Edificada onde se encontrava a cidade romana de Sellium, foram descobertas estruturas para suporte dos alicerces do templo.