Fontes

Uma fonte, fontanário ou chafariz é uma construção erigida num local público, passeio, jardim, praça, que tem como função principal dar de beber a quem passa. Sendo no início o local onde todas as populações vizinhas se abasteciam de água, por não haver água canalizada em casa, tornou-se também num local de convívio.

Uma fonte habitualmente é construída numa forma ornamentada, algumas bastante simples e muitas outras extremamente elaboradas. Na atualidade a função principal deixou de ter tanto significado mas continua a cumprir a sua função de dar de beber e de decoração.

  • Para além da funcionalidade útil do chafariz para a população, é espaldado por um painel de azulejos com o motivo desta mesma aldeia.
  • Este Chafariz é um dos vinte e dois chafarizes existentes em Lisboa ligados à rede de fornecimento de água do Aqueduto das Águas Livres.
  • Situado à entrada norte da Ribeira de Santarém, este monumental chafariz da segunda metade do séc. XVIII servia os viajantes que aqui passavam com destino ao norte.
  • Situada no centro histórico de Sabugal, no pequeno largo da fonte, o seu perímetro é quase ocupado só pela fonte que foi edificada em 1904.
  • Com uma inscrição de 1704, esta fonte é datada do século XVI, havendo a possibilidade de ter sido restaurada no ano indicado na inscrição.
  • O Chafariz de São Marcos foi construído nos finais do século XVI para abastecimento de água à cidade.
  • Está situado num pequeno largo nas traseiras do edifício da cadeia. De planta octogonal, o tanque tem como base um degrau igualmente octogonal.
  • Um chafariz situado em Soutelo, freguesia de Macinhata do Vouga, restaurado há cerca de 20 anos.
  • Este Chafariz é uma obra barroca em mármore, coroada pelas armas de D. João V, sobre a qual se ergue a varanda do antigo palácio, atual Biblioteca Municipal.
  • À entrada de Azenhas do Mar vindo da Praia das Maçãs encontramos uma fonte com a data de inauguração em 1894, da C.M.C. (Câmara Municipal de Cintra, segundo a grafia desse tempo).
  • Este Chafariz está classificado como património protegido. A sua localização original era na Rua do Alegrete, e daí o seu nome.
  • Dada a sua localização inicial junto da Cruz das Almas, também é conhecido por esse nome. Foi depois levado para este local.
  • Chafariz construído no largo da Sé, com uma imagem do Anjo São Miguel, que posteriormente passou para a parte lateral, a atual posição.
  • Chafariz da Feira, assim chamado ao esplendoroso chafariz que se encontra num espaço, que se mantém incólume até hoje, denominado de Campo da Feira.
  • Situado no Jardim ou Largo do Carmo, o Chafariz Renascentista, do séc. XVI, com três taças, enquadra-se com os Palácios e Convento do Carmo.
  • Após a reforma pombalina que se seguiu ao terramoto de 1755, foi iniciada a construção deste chafariz em 1769 para fornecer água à população que residia naquela zona.
  • O chafariz situado no pátio do convento, erigido entre 1790 e 1792, veio colmatar a falta do anterior, que tinha sido deslocado para a cidade de Barcelos.
  • Um chafariz do século XVIII situado junto da Capela do Calvário, foi mandado construir por Francisco Mendes Veiga em 1771.
  • Chafariz do Largo 25 de Abril ou Chafariz da Branca de Neve.
  • Foi construído em 1922 neste local o primeiro chafariz para abasteciemnto de água a Almada. Antes deste a distribuição era garantida pelos aguadeiros que a traziam da Fonte da Pipa.