Castelos

Um castelo é uma construção com função de vigilância, defesa e também de residência. Para cumprir a sua função de vigia habitualmente eram construídos em locais elevados, no cimo dos montes, e próximo de locais possíveis para ataque das forças inimigas tal como os rios. Desta forma conseguiam uma vigilância a grande distância tendo tempo suficiente para preparar a defesa e o contra-ataque. Muitos dos castelos também serviram de residência às famílias reais.

A maior parte dos castelos dispunham de uma torre de menagem, num nível mais elevado, que era o posto por excelência de vigilância, entre outras funções.

Em variados casos as cidades e outras povoações começaram o seu desenvolvimento com a construção de casas para os populares dentro do recinto e ao redor do castelo.

  • Fortificação Islâmica, foi reconstruído nos séc. XIII e XIV, tomando só no séc. XVI a atual forma. Foi testemunho de grandes acontecimentos, como por exemplo tratados de paz.
  • Sendo este castelo construído para defesa da raia alentejana tornou-se depois numa das mais importantes praças-fortes do Alentejo.
  • Considerado como um dos mais importantes Castelos entre o Douro e Minho, teve igualmente a sua importância na formação e consolidação da Nacionalidade.
  • O Castelo de Germanelo, datado século XII (1140-1142), foi mandado erguer por D. Afonso Henriques.
  • Para melhor defesa desta parte de Portugal o castelo foi erigido sobre a escarpa do lado direito do rio por D. Gualdim Pais, da Ordem dos Templários.
  • Na aldeia histórica de Idanha-a-Velha que, séculos atrás, foi a poderosa Egitânia, está preservado um acervo único de monumentos e vestígios de tempos ancestrais.
  • Do primitivo castelo destacam-se a Alcáçova com a Torre de Menagem, a cisterna abobadada e duas portas, a dos Fogos e a do Sol.
  • O Castelo de Lanhoso é um dos quatro monumentos no Monte do Pilar. Considerado um dos mais antigos castelos nacionais, está documentado desde a reconquista do norte do território.
  • O Castelo de Leiria teve o seu papel importante juntamente com outros na defesa e no aumento do território de Portugal, formando uma linha central nesta zona desde o litoral até ao interior.
  • Uma obra do início do século XIII, foi restaurado e ampliado por D. Dinis, a quem atribuem a torre de menagem, que nele residia aquando das caçadas que faziam no Gerês.
  • De origem árabe, reconstruído no séc. XIII, possuía uma grande parte amuralhada, parte da qual ainda é visível. Este castelo tem três torres albarrã.
  • Crê-se que a fortificação já existia em 1063 quando o Rei de Leão, Fernando Magno, conquistou aos muçulmanos que ocupavam a região.
  • Proveniente de um castro pré-histórico, está situado no alto de um monte granítico dominando a cidade.
  • A sua construção data de 1170, a mando de D. Afonso Henriques, e o primeiro documento a referir a povoação foi a Carta de Foral em 1183, do mesmo rei.
  • Encontrando-se estrategicamente localizada num alto rochoso na confluência da ribeira de Oeiras com o rio Guadiana, esta fortificação teve as suas origens islâmicas.
  • Neste ponto mais alto da vila de Miranda do Corvo existiu uma construção fortificada do séc. X, e que estaria referenciada em documentos no Mosteiro do Lorvão.
  • O Castelo de Miranda começou a ser construído em 1287, terminando dez anos depois, com o propósito de uma arquitectura militar.
  • Do Castelo de Mirandela, o que resta é a porta de Santo António. A história deste remonta ao reinado de D. Dinis, nos finais do séc. XIII e princípios do séc. XIV.
  • Acreditando-se que o Castelo de Mogadouro seja da época medieval, a sua fundação provém de uma primitiva ocupação de um castro pré-histórico, passando pela romanização.
  • Sendo a maior parte do conjunto atual edificado no séc. XIII e na primeira metade do séc. seguinte, deve-se essencialmente a dois monarcas, D. Afonso III e D. Dinis.