Sé Catedral de Castelo Branco
Ou Igreja de São Miguel, foi edificada no século XVII em estilo renascentista, com elementos das diferentes fases de construção nos séculos XVI, XVII, XVIII e XIX.
Sé Catedral de Castelo Branco
Sé Catedral de Castelo Branco - interior

Referências documentais conhecidas desde o século XIII desta Igreja de São Miguel centralizam-se num verdadeiro interesse particular, religioso e patrimonial de oito séculos, sendo igualmente parte integrante da história da cidade.

A nave da igreja é o testemunho que permite a demonstração de várias inscrições alusivas às diferentes campanhas arquitetónicas sofridas no decorrer dos tempos, das quais subsistem basicamente testemunhos do barroco e do rococó, embora seja possível identificar vestígios quinhentistas e de épocas anteriores.

Numa recente campanha de obras de recuperação foi descoberta uma necrópole medieval na zona exterior, junto à cabeceira da igreja, com trinta e duas sepulturas antropomórficas em granito que possivelmente correspondem aos séculos XIV e XV. Entretanto, em 1771, com a elevação de Castelo Branco a Diocese, a igreja de São Miguel passou a ser considerada Catedral e por isso veio a beneficiar de obras no início do século XVI. Estas destruíram quase na totalidade os vestígios da estrutura medieval original.

Contudo, mesmo antes da igreja ser elevada a Catedral, teve várias campanhas de obras que remontam aos séculos XVII e XVIII, como a construção do arco cruzeiro do século XVI, retábulos e painéis do século XVII, a capela-mor e a sacristia dos séculos XVIII e XIX.

Igreja de São Miguel à noite

Devido a escassez de meios para fazer uma fachada monumental, foi D. Martim Afonso de Melo, Bispo da Guarda, que a reedificou no último quartel do século XVII.

O edifício atual desenvolve-se longitudinalmente, com duas torres laterais adossadas à fachada imponente e austera, com três portais de moldura reta encimados por duas janelas e um nicho com a imagem de São Miguel a pisar o dragão.

No seu interior tem uma só nave que é separada da capela-mor por um belo arco renascentista, no fecho da qual está o brasão de armas do bispo, como testemunham os dizeres de uma lápide que se encontra no interior da Sé, numa das paredes laterais.

Classificação

É o mais recente Monumento Nacional, classificação tornada pública em Junho de 2021.

Veja outros pontos de interesse
nesta localidade Castelo Branco
ou neste concelho Castelo Branco
Outras localidades deste concelho Castelo Branco

Localização

Coordenadas GPS: N 39 49.603' W 007 29.484'  (39.82672, -7.49140)

Temas / Tags

Castelo Branco, publicado em por