Ou Igreja de São Miguel, foi edificada no século XVII em estilo renascentista, com elementos das diferentes fases de construção nos séculos XVI, XVII, XVIII e XIX.
Sé Catedral de Castelo Branco
Sé Catedral de Castelo Branco - interior

 

 

 

 

É com referências documentais conhecidas desde o séc. XIII que atribuem à Igreja de São Miguel,conhecida como uma das designações,centralizando-se num verdadeiro interesse particular,religioso e patrimonial de mais oito séculos,sendo igualmente parte integrante da história da cidade.A nave da igreja é o testemunho que permite a demonstração de várias inscrições alusivas às diferentes campanhas arquitetónicas sofridas no decorrer dos tempos,dos quais subsistem básicamente testemunhos do Barroco e Rococó,embora seja possível identificar vestígios quinhentistas e de épocas anteriores.

Numa recente campanha de obras de recuperação,foi descoberta uma necrópole medieval na zona exterior,junto à cabeceira da igreja,trinta e duas sepulturas Antropomórficas em granito,que possivelmente correspondem aos sécs XIV e XV.Entretanto,em 1771,com a elevação de Castelo Branco a Diocese,a igreja de São Miguel passou a ser considerada Catedral,e por isso veio a beneficiar de obras no início do séc. XVI.Estas haviam destruído quase na totalidade os vestígios da estrutura medieval original.

Contudo,mesmo antes da igreja ser elevada a Catedral,teve várias campanhas de obras que remontam aos sécs XVII e XVIII,como a construção do arco cruzeiro do século XVI, retábulos e painéis do século XVII, a capela-mor e a sacristia dos séculos XVIII e XIX.

Igreja de São Miguel à noite

Devido a escassez de meios para fazer uma fachada monumental, foi D. Martim Afonso de Melo, Bispo da Guarda, que a reedificou no último quartel do século XVII.

O edifício atual desenvolve-se longitudinalmente,com duas torres laterais adossadas à fachada imponente e austera,com três portais de moldura reta,encimadas por duas janelas e um nicho com a imagem de São Miguel a pisar o dragão.

No seu interior tem uma só nave que é separada da capela-mor por um belo arco renascentista, no fecho da qual está o brasão de armas do bispo, como testemunham os dizeres de uma lápide que se encontra no interior da Sé, numa das paredes laterais.

Classificação

É o mais recente Monumento Nacional,tornado  público em JUnho de 2021

Localização

Coordenadas GPS: N 39 49.603' W 007 29.484'  (39.82672, -7.49140)
Castelo Branco, publicado em por