Pelourinho

Azinhoso com a categoria de vila e consequentemente sede do Concelho, chegou a obter privilégios e importância a nível nacional. Segundo as inquirições de 1258, esta terra era designada como Azinoso e recebeu o primeiro foral das mãos de D. João I em 1386. D. Manuel, em 1520, manteve-o outorgando o segundo foral e do qual se levantou o Pelourinho, último testemunho da antiga autonomia municipal.

Situado no largo da Igreja, o Pelourinho levanta-se em um soco de três degraus quadrangulares, sendo o inferior mais tosco e de aresta e os restantes de rebordo boleado. É constituído por uma base, coluna e arremedo de capitel e remate. A base da coluna é cilíndrica e larga, de forma a igualar o diâmetro do fuste que nela assenta. Este possui um ligeiro ressalto na base, sendo composto por dois tambores cilíndricos lisos.

Está encimado por uma moldura anelar saliente, de onde rompe o capitel. Este é formado por um simples tronco cilíndrico de onde irrompem quatro curtos braços em cruz. Para terminar, é constituído por uma série de besantes e uma corda, única decoração do conjunto, e rematado por uma peça tronco-cónica.

Este Pelourinho românico-gótico está classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1933.

Coordenadas GPS: N 41 23.057' W 006 41.071'  (41.38428, -6.68452)

Temas / Tags

Azinhoso, publicado em por