Pelourinho de Moure
Sendo o elemento mais significativo da freguesia, remonta ao início do século XII. Não lhe é conhecido qualquer foral com estatuto civil, assim o Pelourinho representa o poder eclesiástico.
Pelourinho de Moure

O elemento mais significativo da freguesia, remonta ao início do século XII, em que esta foi designada a Couto do Mosteiro de Moure pelo Conde D. Henrique e, por isso, pertenceu ao cabido da Sé de Braga. Contudo não lhe é conhecido qualquer foral com estatuto civil, sendo-lhe este estatuto atribuído pelos senhores eclesiásticos.

Assim, a condição de Moure é eclesiástica e, ao contrário do que é habitual, o Pelourinho representa o poder eclesiástico. Este poder foi a mando do Frei Agostinho de Jesus, o então Arcebispo de Braga entre 1568 e 1609, em Agoela, sendo mais tarde transportado para o Solar de Gondomil.

Descrição

Pelourinho de Moure

A sua edificação ergue-se numa plataforma de dois degraus quadrados, em que a base da coluna se assemelha a um terceiro degrau, ligeiramente mais alto.

A coluna é cilíndrica e lisa, decorada apenas com o escudo de armas do Frei Agostinho junto ao topo. O remate é piramidal, com a mesma secção da coluna.

Classificação

Foi considerado como Imóvel de Interesse Público desde 1933.

Veja outros pontos de interesse
nesta localidade Moure
ou neste concelho Vila Verde
Outras localidades deste concelho Vila Verde

Localização

Este Pelourinho está situado nos terrenos do Solar de Gondomil, a oeste da sua fachada principal.

Coordenadas GPS: N 41 38.473' W 008 28.314'  (41.64122, -8.47190)

Referências

Temas / Tags

Moure, publicado em por